Prevenção ao mosquito mobiliza servidores e público de órgãos federais

11 de março de 2016

Um dos temas mais importantes e atuais de saúde pública movimentaram a rotina de trabalho em órgãos e repartições públicas, no Ceará, na manhã desta sexta-feira (11). Quem trabalha e quem circulou por 20 órgãos federais foi envolvido por informações sobre a prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti, que ficou ainda mais perigoso porque transmite, além da dengue, a chikungunya e a zika. Com o agravante de que a zika está sendo associada à microcefalia. No prédio do Ministério da Fazenda, onde funciona a Receita Federal, no Centro de Fortaleza, a Secretaria da Saúde do Estado mostrou, através do ciclo vivo,  todas as fases do mosquito, desde ovo, passando pela larva e pupa, até o mosquito adulto. Dependendo das condições de clima, umidade, bastam oito dias para o ovo, após contato com água, virar mosquito adulto e sair por aí picando e deixando a população doente.

Como o mais importante é evitar que o mosquito nasça, todas as mobilizações foram focadas na prevenção. “A partir de agora, os órgãos federais passam a ser constantemente também atores de informações das ações educativas no combate ao Aedes aegypti”, afirma o coordenador do Comitê Gestor de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika, Moacir Tavares, que participou da mobilização no Ministério da Fazenda. 

O que mais chamou a atenção do público que passou pelo prédio da Receita Federal na manhã desta sexta-feira foi o cenário montado pela Secretaria da Saúde do Estado para destacar o que cada um pode fazer dentro de casa e no trabalho para não dar chance ao mosquito de nascer. No cenário, dicas de como evitar que os ovos sejam postos nos pneus, deixando-os sempre em áreas cobertas, livres de chuva. Para manter o mosquito longe da caixa d’água é preciso fazer a limpeza com escovão nas laterais e depois vedar bem. Baldes devem ficar sempre tampados. Os sacos de lixo devem ficar amarrados e somente nos dias da coleta serem levados para a calçada. Nunca jogar lixo nas ruas porque uma simples tampinha de refrigerante pode servir de criadouro para fêmeas colocarem os ovos. Durante o período de vida, que é de 30 dias, em média, a fêmea pode pôr de 400 a 1.000 ovos.

A prevenção e controle do mosquito estão mobilizando a população. Dezenas de escolas, empresas, órgãos públicos, igrejas estão realizando ações. A Secretaria da Saúde do Estado informa que disponibiliza material da campanha do Governo do Estado, com o título “Todos contra o mosquito”, incluindo folderes e cartazes, para serem utilizados nas ações de mobilização e prevenção.      

“Reunimos 20 órgãos. Esses 20 órgãos conseguiram, cada um com suas peculiaridades, realizar ações de capacitação de brigadas internas que vão cuidar das visitas semanais nos prédios”, destacou Moacir Tavares. Entre os 20 órgãos e repartições públicas federais no Ceará estão os prédios do Ibama, DNOCS, Ministério da Fazenda, Ministério da Saúde, Advogacia Geral da União, Iphan, UFC, Denit, OAB/CE.

11.03.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula / Secretarias

Coordenadoria de imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898