Saúde promove ações para marcar Dia de Luta contra tuberculose

16 de março de 2016

A Secretaria da Saúde do Estado realiza nesta quinta-feira (17) o 1º Seminário de Tuberculose para Implantação da Cultura Universal, no Laboratório Regional de Saúde Pública (Lacen), em Tauá. Profissionais de saúde da atenção primária de Tauá, Arneiroz, Parambu e Aiuaba, que integram a 14º Região de Saúde, debaterão sobre a implantação da cultura universal para avaliar resistências medicamentosas e orientar o tratamento mais indicado. O seminário faz parte das atividades programadas para marcar o Dia Mundial de Luta Contra a Tuberculose, 24 de março. Também em comemoração à data, serão realizadas outras ações, como a posse do Comitê Estadual da Tuberculose, na próxima quarta-feira (23), às 11 horas, na Secretaria da Saúde, em Fortaleza.

A tuberculose é causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outras partes do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro). Na maioria das pessoas infectadas, os sinais e sintomas mais frequentemente são tosse seca contínua, no início da doença, depois tosse com presença de secreção por mais de quatro semanas, transformando-se, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo; febre baixa, geralmente, à tarde; sudorese noturna; falta de apetite; palidez; emagrecimento acentuado; rouquidão; fraqueza e prostração.

A transmissão é direta, de pessoa a pessoa, por meio de pequenas gotas de saliva expelidas ao falar, espirrar ou tossir. Somente de 5% a 10% dos infectados pelo bacilo de Koch adquirem a doença. O tratamento é realizado no ambulatório da unidade básica saúde mais próxima da casa do paciente, e não há necessidade de internação hospitalar. Assim, o acesso é facilitado porque há, nos 184 municípios cearenses, 2.327 unidades básicas e postos de saúde. O tratamento é oferecido na rede SUS, totalmente gratuito, e deve ser feito por um período mínimo de seis meses, sem interrupção, diariamente. Nas unidades básicas de saúde são realizados a baciloscopia e o tratamento para tuberculose.

O paciente pulmonar bacilífero (BK+), se não tratado, pode infectar em média 10 a 15 pessoas por ano. A tuberculose infecta pessoas em todos os países, ricos e pobres. Pobreza, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional são fatores que contribuem para que o agravo se dissemine e se transforme em doença. Apenas alcançando as metas de detecção de no mínimo 70% dos casos de tuberculose e cura de 85% destes casos é que o controle da doença realmente se dará e suas taxas começarão a diminuir gradativamente em 5% ao ano.

No Ceará, foram registrados, em 2015, 3.417 casos novos de tuberculose, com uma taxa de incidência de 38,5 por 100 mil habitantes. A taxa de mortalidade foi de 2,3 por 100 mil habitantes, com 209 óbitos registrados. A taxa de cura da tuberculose no Estado ficou em 59,2% em 2014, enquanto a taxa de abandono do tratamento ficou em 12,7%. O Ministério da Saúde estabelece em 5% a taxa aceitável para o abandono do tratamento.

SERVIÇO

1º Seminário de Tuberculose para Implantação da Cultura Universal

Local: Laboratório Regional de Saúde Pública (Lacen), em Tauá, na Rua Abigail Cidrão, 30, Colibris.
Data: 17 de março (quinta-feira)
Hora: das 9 às 13 horas

16.03.2016

Selma Oliveira
Assessoria de Comunicação da Sesa
selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220

Giselle Dutra / Wania Caldas
Gestoras de Célula / Secretarias e Conteúdo

Coordenadoria de imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898