Polícia Civil desativa 1º laboratório de fabricação de drogas sintéticas no Ceará e prende dez pessoas

22 de Março de 2016

Ação ocorreu em Fortaleza e Caucaia, entre os dias 7 e 20 deste mês, e finalizou com dez pessoas presas, entre elas dois empresários

Uma ação realizada pela Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), resultou na desativação do primeiro laboratório de fabricação de drogas sintéticas no Ceará descoberto pela Polícia. A ação ocorreu, em Fortaleza e Caucaia, entre os dias 7 e 20 deste mês e finalizou com dez pessoas presas, entre elas, dois empresários.

Lab 2Na primeira investida das equipes, foram capturados Dennys Passos Lima, 37 anos, o “Dennys Manaus”, que já responde por uso de entorpecentes; Rodrigo Teixeira Costa Novo, 24 anos, o “R Costa”, que responde por crime ambiental, e Tatiane Lioça Jurema, 29 anos, a “Taty Loura”, que não possuía antecedentes criminais. As abordagens ocorreram nos bairros Centro e Papicu, nas Áreas Integradas de Segurança 1 e 3, respectivamente. Com eles, foram apreendidos 1.645 comprimidos de ecstasy, 25 gramas de MDMA, 415 micropontos de LSD do tipo N-BOME, 650 gramas de maconha, além de cheques, cartões magnéticos em branco, embalagens, balanças digitais, celulares, notebook e quatro maquinetas.

Em seguida, os policiais capturaram Yago Mota do Nascimento, 23 anos, que já responde por violação ao estatuto de defesa do torcedor. O homem foi flagrado no momento em que fazia uma entrega de LSD. Com ele, foram apreendidos 23 comprimidos de ecstasy. A ação ocorreu na Avenida Miguel Dias, no bairro Cocó, na AIS 3. Outro traficante de drogas sintéticas acabou capturado. Com Jordão Sobral Santos (20), sem antecedentes criminais, os policiais apreenderam 44 pontos de LSD e 48 comprimidos de ecstasy. A prisão ocorreu na Rua José Lucas, no bairro Planalto Airton Sena (AIS 5).

Laboratórios desativados

Lab 3Dando continuidade à operação, os policiais civis chegaram até dois laboratórios que funcionavam nos bairros Cambeba e Parque Dois Irmãos. Duas pessoas foram presas. Na Rua H, no Parque Dois Irmãos, foi descoberto pela primeira vez um laboratório de drogas sintéticas no Ceará. O responsável pelo local, David Alves de Oliveira (28), que já responde por uso de entorpecentes, acabou preso. De acordo com a delegada Patrícia Bezerra, diretora adjunta da DCTD, no local, o homem preparava os micropontos com matéria-prima vinda de São Paulo.

Já na Travessa José Martiniano de Alencar, no Cambeba, os policiais prenderam Emanuel Lucian Silva Rabelo, 25 anos, sem antecedentes criminais. Na casa de Emanuel, os policiais desativaram o laboratório de refino de cocaína e fabricação de crack.

Element Rave

Na manhã do último domingo (20), durante festa realizada em uma casa na Lagoa do Banana , em Caucaia, foi capturado Leonardo Felipe Rodrigues, 25 anos, sem antecedentes criminais. O homem foi flagrado por policiais vendendo drogas para os participantes da rave. A festa resultou ainda na morte de uma pessoa por overdose.

Dois organizadores do evento também acabaram presos. Tratam-se dos empresários Caio Araújo Braga, 27 anos, e Leandro Corrêa Braga, 29 anos, ambos sem antecedentes criminais. Os organizadores foram capturados, pois foi comprovado que o local da festa, que eles tinham a propriedade, estava servindo para o livre comércio de drogas. “Com o aprofundamento das investigações, a Polícia Civil descobriu que o tráfico de drogas sintéticas está intimamente ligado às festas raves. Não existe rave sem o tráfico e não existe o tráfico dos sintéticos sem essas festas”, disse Patrícia Bezerra. A delegada afirmou ainda que no período que antecede as festas, a capital cearense recebe uma quantidade maior desse tipo de droga.

No total, foram apreendidos 1.738 comprimidos de ecstasy, 25 gramas de MDMA, 1.546 micropontos de LSD, seis frascos de LSD líquido (utilizado para a fabricação dos micropontos), 1 kg de maconha, 575 gramas de cocaína, dois quilos de substâncias para refino de cocaína e preparo de crack, além de comprimidos diversos, cheques e cartões magnéticos em branco, embalagens, apetrechos para fabricação de drogas, balanças digitais, celulares, notebook e quatro maquinetas.

Para o delegado Sérgio Pereira, diretor da DCTD, a operação é uma continuidade ao combate ao tráfico de drogas sintéticas que vem sendo desenvolvido desde o ano passado. Sérgio afirmou que foi necessário deflagrar uma operação antes do evento, para diminuir a quantidade de drogas vendida no local. “Com as investigações notamos que sempre que existe uma festa dessa, precisamos montar uma operação para evitar que toda essa droga convirja aqui para Fortaleza. Além disso, percebemos que mais do que ter cuidado com a realização dessas festas, com o combate ao tráfico de drogas, estamos preocupados em salvar vidas. Percebemos que muita gente acaba passando mal e tendo overdose”, revelou o delegado.

Balanço anual

Em 2015, as ações de combate ao tráfico de drogas sintéticas resultaram nas apreensões de mais de 6.210 mil comprimidos de ecstasy, além de 4.270 selos de LSD e 2.165 pontos de NBOMe. Drogas como GHB e Ktamina, antes desconhecidas no Ceará, também foram apreendidas.

22.03.2016

Assessoria de Comunicação da SSPDS
Morgana Cruz
ascom@sspds.ce.gov.br / 85 3101.6517

Ciro Câmara e Wania Caldas
Gestores de células /Secretaria e Conteúdo

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898