Levantamento aponta índices de infestação do Aedes aegypti no Ceará

12 de Maio de 2016

O LIRAa é o método amostral cujos resultados permitem aos gestores direcionarem com mais precisão as medidas de prevenção e combate do mosquito e o controle das doenças por ele transmitidas

O número recorde de 82 municípios que realizaram o primeiro Levantamento Rápido de Índice de Infestação para Aedes aegypti (LIRAa) do ano, apresenta 26 municípios (33,77%) com alto risco de transmissão de dengue, zika e febre chikungunya, 33 (42,86%) em situação de média infestação e 23 (29,87%) com baixo índice de infestação predial (IPP), segundo critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). O levantamento aponta também que os principais criadouros identificados encontram-se  entre os depósitos ao nível do solo para o armazenamento doméstico de água para consumo humano, que incluem tonel, tambor, barril, tina, depósitos de barro (filtros, moringas, potes), cisternas, caixa-d’água e captação de água em poço/cacimba/cisterna.

O LIRAa é o método amostral cujos resultados permitem aos gestores direcionarem com mais precisão as medidas de prevenção e combate do mosquito e o controle das doenças por ele transmitidas. Com mais informações coletadas, é possível identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas. Os municípios com mais de dois  mil imóveis em sua zona urbana podem realizar o LIRAa. No Ceará, 162 dos 184 municípios do Estado se enquadram nesse critério, representando 50,62% do total. Bem mais do que em 2015, quando os percentuais de municípios que realizaram o LIRAa ficaram em 26,54%, 22,84% e 26,54% nos três levantamentos realizados no ano.

alt

Na realização do levantamento, todos os depósitos que contenham água no momento da visita domiciliar são examinados de forma cuidadosa, pois se constituem criadouros potenciais para os mosquitos do gênero Aedes. A faixa de risco dos municípios para a ocorrência de doenças é dada pelo Índice de Infestação Predial (IIP), relação entre o número de imóveis com infestação do mosquito e o total de imóveis pesquisados. O índice é satisfatório quando fica abaixo de 1%, mostra situação de alerta quando está no intervalo entre 1% e 3,9% e indica risco de surto quando é igual ou superior a 4%.

LIRAa 2016 – municípios com baixo índice de infestação do Aedes aegypti

Município IPP (Índice de Infestação Predial)
Aracati 1
Jaguaribara 1
Catunda 0,9
Sobral 0,9
Paraipaba 0,8
Iguatu 0,8
Brejo Santo 0,6
Jaguaruana 0,5
Cariré 0,5
Fortim 0,4
Graça 0,4
Cariús 0,4
Morada Nova 0,2
Groaíras 0,2
Icapuí 0
Itaiçaba 0
Jaguaribe 0
Mucambo 0
Pacujá 0
Santana do Acaraú 0
Ibiapina 0
Jucás 0
Quixelô 0

LIRAa 2016 – municípios com média infestação do mosquito

Município IPP (Índice de Infestação Predial)
Forquilha 3,9
Hidrolândia 3,9
Pires Ferreira 3,8
Uruoca 3,8
Moraújo 3,7
Orós 3,3
Granja 3,2
Tabuleiro do Norte 3,1
Saboeiro 2,9
Paramoti 2,8
Paracuru 2,2
Maranguape 2,2
Coreaú 2,2
Croatá 2,2
Tianguá 2,2
Crateús 2,2
Mauriti 2,1
Fortaleza 2
Guaraciaba do Norte 2
Russas 1,7
Pereiro 1,7
Ubajara 1,6
Lavras da Mangabeira 1,6
Itapipoca 1,5
Frecheirinha 1,4
Maracanaú 1,3
Limoeiro do Norte 1,3
Alcântaras 1,3
São Gonçalo do Amarante 1,2
Quixeré 1,2
Cedro 1,2
São Benedito 1,1
Icó 1,1

LIRAa 2016 – municípios com alto índice de infestação do mosquito

Município IPP (Índice de Infestação Predial)
Canindé 16
Quixeramobim 15,2
Caridade 13,3
Boa Viagem 12,7
Caririaçu 12,6
Apuiarés 11,4
Tejuçuoca 10,5
Parambu 9,5
Ipu 9,1
Varjota 8,1
Pentecoste 7,6
Massapê 7,5
Madalena 6,4
Viçosa do Ceará 6,3
Quixadá 6
Ipaumirim 6
Iracema 5,9
Jaguaretama 5,9
Senador Sá 5,8
Pacatuba 5,2
Irauçuba 4,8
Tauá 4,8
Piquet Carneiro 4,7
Caucaia 4,4
Alto Santo 4,2
Mombaça 4,2

 

12.05.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Assinatura coornenadoria matérias