Festa do Pau da Bandeira de Barbalha inicia neste final de semana sua primeira edição após registro pelo Iphan

27 de Maio de 2016

A tradicional Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha começa neste final de semana, no município da região do Cariri. É a primeira edição da festa após o reconhecimento nacional do Pau da Bandeira de Barbalha, com registro como patrimônio imaterial brasileiro, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O reconhecimento ressalta a peculiar união de festejo popular como manifestação de fé, com características próprias e diferenciadas.

O registro foi formalizado em setembro do ano passado, com a festa passando a integrar o Livro de Registro das Celebrações e sendo colocada no mesmo nível de manifestações como o Bumba-Meu-Boi, no Maranhão, as festas de Sant’Ana de Caicó, no Rio Grande do Norte, e do Senhor Bom Jesus do Bonfim, na Bahia.

Para o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano dos Santos Piúba, a edição 2016 da festa assume uma importância especial, por se tratar da primeira após esse reconhecimento nacional. “O reconhecimento nacional da Festa de Santo Antônio de Barbalha pelo Iphan é muito importante para a cultura cearense e reforça a dimensão dessa expressão da cultura tradicional popular, em que dezenas de grupos, artistas e mestres participam ativamente, em uma das mais marcantes manifestações do Cariri, do Ceará e do Brasil”, ressalta Fabiano dos Santos.

O secretário de Cultura e Turismo de Barbalha, Antônio de Luna, o Sitõe, enfatiza o marco para o fortalecimento da cultura da região e do Ceará, com “um novo olhar sobre a festa, incluindo as tradições como o carregamento e o hasteamento do Pau da Bandeira”. Esse fortalecimento, segundo o secretário, deve ocorrer a partir da abertura de canais de diálogo com outras instituições, como universidades e com o próprio Ministério da Cultura, além da possibilidade de participar de editais dedicados a apoiar as celebrações registradas.

A abertura da festa acontece neste final de semana, com a Noite das Solteironas no sábado (28), e com o carregamento e o hasteamento do Pau da Bandeira no domingo (29). As festividades continuam atividades todos os dias, até 13 de junho, com expectativa de que mais de 300 mil pessoas se reúnam em Barbalha.

Neste sábado, às 20h, acontece solenidade pública sobre o reconhecimento da festa, além do lançamento da Escola de Artes e Saberes Contemporâneos de Barbalha, com a assinatura do termo de comodato, por 10 anos, do Palácio 3 de Outubro, prédio tombado, no qual a escola funcionará. A Noite das Solteironas também será marcada por um grande casamento coletivo, após a missa das 20h na Matriz de Santo Antônio.

Ainda no sábado à noite haverá descerramento de placa em homenagem ao carregador do Pau da Bandeira Cícero Ricarde, o Careca, falecido durante o cortejo do ano passado. A noite será encerrada com shows culturais com os músicos Italo Queiroz e Leonardo de Luna, com a musicalidade nordestina tradicional, acrescida de novas canções. Toda a programação é aberta ao público e gratuita.

Já no domingo as atividades começam às 6h, com a alvorada festiva e com a reunião de 60 grupos de cultura popular tradicional, que saem em cortejo pelas ruas da cidade após a missa, às 9h. O tradicional cortejo do Pau da Bandeira começa no domingo, com estimativa para as 11h, seguindo até o começo da noite, com o mastro sendo conduzido por cerca de 6 km pelos carregadores, em uma demonstração de fé, persistência, força, brincadeira e espírito coletivo. A expectativa é de que o hasteamento aconteça por volta das 19h.

Enquanto os carregadores se esforçam na tarefa de entrar na cidade com o Pau da Bandeira, as mulheres correm para tocar o mastro ou sentar-se nele, a cada parada do percurso, em uma simpatia para conseguir bom casamento. Retirar lascas do pau da bandeira para fazer chás, óleos e lembranças são outras simpatias populares relacionadas à festa. O hasteamento do Pau da Bandeira marca o início oficial da festa, demonstrando a todos que podem vê-lo de longe que Barbalha e seu povo vivem dias especiais.

Origem da festa

Conforme destaca matéria publicada pela Empresa Brasileira de Comunicação, os festejos de Santo Antônio remontam ao fim do século XVIII e se relacionam à própria origem da cidade de Barbalha, com a construção de uma capela em devoção ao santo. Atualmente, as celebrações duram 13 dias (do fim de maio a 13 de junho, Dia de Santo Antônio) e têm como ponto alto o Carregamento e o Hasteamento do Pau da Bandeira, sempre no domingo mais próximo do dia 31 de maio.

A tradição do Pau da Bandeira começou em 1928. Trata-se do tronco de uma árvore previamente escolhida, simbolizando a promessa e a devoção ao santo casamenteiro. Os carregadores formam uma espécie de irmandade e centenas de homens se revezam para levar o pau sobre os ombros por cerca de 6 quilômetros até a frente da Igreja Matriz de Barbalha, onde é hasteado com a bandeira de Santo Antônio, numa demonstração de força e fé.

27.05.2016

Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – Secult
Dalwton Moura / 85 98699-6524 / 3101-6761 / secultmkt@gmail.com

Assinatura coornenadoria matérias