Tecnologia contribui para segurança nas cirurgias

27 de Maio de 2016

Quando um paciente é internado para fazer uma cirurgia, na maioria das vezes, ele desconhece as técnicas cirúrgicas, os materiais a serem utilizados, entre outras informações técnicas. No Hospital Geral Dr. César Cals, da rede pública do Governo do Estado do Ceará, o Serviço de Cirurgia oferece aos pacientes equipamentos modernos que garantem a segurança, qualidade, técnica profissional especializada, além de uma recuperação mais rápida e com menos intercorrências pós-cirúrgicas.

Para Francisca Dorisvan Pinheiro da Silva, que mora em Solonópole, no interior do Ceará, a recuperação ocorreu em 15 dias e ela passou apenas três dias internada.  A admissão se deu no dia 9 de maio, a cirurgia foi realizada no dia seguinte, 10 de maio, e no dia 11, ela já estava de alta hospitalar. “Antes da cirurgia de vesícula, ela sentia muitas náuseas, desconforto e dores também. Após a cirurgia, ela não sentiu mais nada”, conta Selma Pinheiro, irmã e acompanhante da paciente.

Essa recuperação mais rápida, com segurança para o paciente, é possível por conta das cirurgias por laparoscopia, ou seja, por vídeo, realizadas no HGCC desde a década de 90. De acordo com Fernando Holanda, chefe do Serviço de Cirurgia, atualmente, o Hospital César Cals conta com equipamentos bem mais modernos, o que permite a realização de procedimentos menos invasivos, mais seguros e com otimização do tempo cirúrgico. “Essas técnicas e modernização dos equipamentos nos faz estar sempre à frente nessa modalidade cirúrgica, o que proporciona muitos benefícios ao pacientes”, frisa o médico. É o que destaca o diretor geral do HGCC, Antônio Eliezer Arrais Mota Filho, quando afirma que o paciente tem acesso a excelentes serviços num hospital público, como o Hospital César Cals. “Esses equipamentos trazem para o paciente, essencialmente, a segurança e a diminuição do tempo de cirurgia, reduzindo também problemas decorrentes do ato cirúrgico”, afirma.

Para se ter uma ideia, são utilizados, hoje, materiais como bisturi ultrassônico, usado para fechar vasos, sem produzir fumaça, além de diminuir o tempo do procedimento e facilitar a visualização; tesouras ultrassônicas que facilitam a dissecção, pois ao mesmo tempo em que corta o tecido, faz a coagulação dos vasos; grampeadores, utilizados para seccionar e suturar as alças intestinais, ou seja, a medida que se produz o corte, é grampeado, substituindo a sutura manual, entre outros.

27.05.2016

Assessoria de Comunicação do HGCC
Wescley Jorge
ascom@hgcc.ce.gov.br / 85 3101.5323
Facebook.com/HospitalGeralCesarCals
Twitter: @Hosp_CesarCals

 

Assinatura coornenadoria matérias