HGF atende a 80 pacientes no Mutirão da Dor de Cabeça

6 de junho de 2016

 

Na manhã do último sábado (4), foi realizada mais uma edição do Mutirão de Cefaleia no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), da rede pública do Governo do Estado. Neurologistas, médicos residentes e internos, atenderam 80 pacientes encaminhados pela atenção primária. Já os que não tinham encaminhamento, foram cadastrados para um novo agendamento de consultas no ambulatório de neurologia do HGF.

Ao longo de 10 anos, o mutirão, também conhecido como “Mutirão da Dor de Cabeça”, ocorre devido a alta procura de consultas com especialistas da área de neurologia. O objetivo é que diminiuir as filas de espera e garantir para os pacientes o acesso mais rápido ao especialista. De acordo com o neurologista Mário Hermes, “existem pessoas que aguardam meses e até mais de um ano, para serem consultadas por um especialista, por isso a realização do mutirão. Nossa intenção é tentar diminuir essa demanda”. O neurologista ainda fala que a dor de cabeça é um fator impactante na qualidade de vida das pessoas, por isso é importante buscar o atendimento médico assim que surgir algum sintoma. “A intenção de detectarmos esses quadros precoces é que, com o tratamento, possamos trazer de volta a qualidade de vida que essas pessoas tinham antes, para que possam retornar às suas atividades normais”, ressaltou.

banner mutirao dodecabeca1

Em dezembro de 2014, a diarista Maria do Socorro, 50, começou a sentir dores de cabeça. Não aguentando mais os sintomas, ela teve que deixar o emprego no final do ano passado, devido ao esforço do trabalho que realizava. Ela conta que sua vida familiar e social foi muito afetada. “Eu ficava sempre acamada quando tinha dor, não conseguia conversar com a minha família, só queria ficar quieta no meu canto. Como o meu trabalho era muito forçado, eu fui obrigada a deixar o emprego por conta da minha saúde. Com isso, eu procurei um médico e ele me encaminhou para o HGF, para fazer o tratamento”. A diarista aproveitou que estava com o encaminhamento e participou do mutirão, com a esperança de dias melhores.

banner mutirao dodecabeca2
Quem também compareceu ao Mutirão de Cefaleia do HGF neste sábado, foi a comerciante Maria Josélia dos Santos, 63 anos. A comerciante fala que há três anos começou a sofrer com dor de cabeça. “As dores são intensas, parece que espreme a sua cabeça. Eu fico muito mal, e chego a desmaiar. Eu tomava remédio sem prescrição, mas não adiantava nada”. Dona Maria Josélia conta que procurou um médico para fazer o tratamento adequado. “Esse mutirão veio para trazer mais alívio pra mim. Agora vou conseguir fazer meu tratamento direito. Estou na esperança que agora vou retomar minhas atividades cotidianas normais”, afirmou.

O Ambulatório da Dor de Cabeça no HGF atende em média 100 pacientes por mês, sempre às quintas-feiras pela manhã, das 07h ao meio-dia. No último mês de fevereiro, o ambulatório de cefaleia completou 25 anos, com atendimento especializado à população cearense. No balanço dos serviços, foram feitas 45 mil consultas, garantindo tratamento a 12 mil pacientes.

06.06.2016

Assessoria de Comunicação do HGF
Débora Morais/Thiago Vidal
(85) 3101.7086
debora.morais@hgf.ce.gov.br
Twitter: @Hospital_HGF

Assinatura coornenadoria matérias