Internas do IPF comemoram curso de formação política

24 de junho de 2016

O curso Pelas asas de Maat trabalha a formação política e racial das internas. A celebração contou com uma apresentação de maracatu

O Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa (IPF) teve uma tarde de muita música, confraternização e sorrisos. Nesta sexta-feira (24), 26 internas receberam a certificação do projeto “Pelas Asas de Maat” em cerimônia animada pelo batuque do maracatu. O curso é fruto da parceria entre a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) e o Instituto Negra do Ceará (Inegra) e integra as ações que buscam promover uma gestão humanizada e cidadã dentro das unidades prisionais.

As internas estiveram em contato com a nova experiência durante três meses. Foi a terceira turma do projeto que já certificou 78 mulheres privadas de liberdade.”É um curso importante pela conscientização política e para o exercício da cidadania dessas mulheres. Elas vivenciavam opressões lá fora e, agora empoderadas, sabem seu papel e estão atentas a seus direitos, assim como mais fortes para resistir à intolerância sexista ou a qualquer outro tipo de opressão”, afirma Francisca Sena, assistente social e coordenadora do Inegra, ONG que objetiva promover os valores das populações negras, com prioridade às mulheres, atuando em uma perspectiva anti-racista e feminista.

“Nossa preparação foi bastante interessante e vou buscar multiplicar o que aprendi lá fora. Nós, esquecidas por muitos, sabemos agora nosso potencial e entendemos melhor quais os nossos direitos”, conta a interna Ednalva, emocionada, antes de cair em lágrimas.

Katiana também aprovou a experiência adquirida com a equipe do projeto. “Adorei as aulas. Aprendi muitas coisas boas sobre nossos direitos e agora entendo que a discriminação lá fora não é individual, e sim geral”, afirma a interna.

“É uma tremenda sensibilidade da Sejus abrir espaço para esse tipo de capacitação militante, conscientizadora. Nós fugimos dos cursos tradicionais e trabalhamos a autoestima sem alienação das internas”, pontua Lucia Bertini, assessora especial para a cidadania da Sejus.

A cerimônia de certificação contou com a presença de todos os envolvidos no projeto. Além de representantes da Sejus e do Inegra, membros Núcleo de Estudos e Pesquisas em Afrobrasilidade, Gênero e Família (Nuafro), Fórum Cearense de Mulheres e Escritório Frei Tito de Direitos Humanos  se fizeram presentes. A celebração foi animada pelo grupo Ponto de Cultura Maracatu Nação Fortaleza, que enalteceu aspectos africanos e também fez alusão ao período de São João.

24.06.2016

Camille Soares
(85) 99140-6446

Assinatura coornenadoria matérias