Adagri intensifica ações de fiscalização de trânsito interestadual referente às cargas de banana e helicônias

7 de julho de 2016

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) intensificou a fiscalização nas barreiras fitossanitárias, especialmente, para o controle da circulação de cargas de bananas e helicôneas, devido à recente ocorrência de Sigatoka Negra, nos estados do Bahia e Espirito Santo, que perderam o status de área livre, conforme  publicação das instruções normativas MAPA/SDA n° 12/06/2016 e n° 13, de 28/06/2016.

De acordo com o diretor de Sanidade Vegetal da Adagri, José Tito Carneiro Silva, o Ceará é considerado uma área livre para esta praga, a intensificação da fiscalização se constitui fator fundamental  para manutenção desse status,  e  para a comercialização dos nossos produtos. Concomitante as ações de fiscalização, foram reforçadas, também, as ações de educação sanitária pelos servidores.

A Adagri vem executando programas para manter as Áreas Livres de  Sigatoka Negra,  Moko da Bananeira  e Anastrepha grandis, nas culturas bananas, helicôneas e curcubitáceas, que se destacam  pela importância econômica  para o Estado.

Saiba Mais

A Sigatoka Negra da bananeira afeta o crescimento e produtividade das bananeiras provocando perdas de até 100% da produção. As principais vias de disseminação têm sido folhas infectadas colocadas entre os cachos ou pencas de banana para prevenir ferimentos, utilização de mudas infectadas e/ou oriundas de região com histórico da doença e principalmente vento, que carrega os esporos do agente causador a longas distâncias. Além disso, os esporos podem aderem à superfície de frutos, madeira, papelão, plásticos, tecidos e veículos.

 

07.07.2016

Assessoria de Comunicação da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará – Adagri
Jorn. Sonara Capaverde
Mtb 6553/RS
sonara.capaverde@adagri.ce.gov.br