Hospital São José alerta para diagnóstico precoce de hepatite

7 de julho de 2016

Médicos, enfermeiros e outros profissionais de assistência em saúde do Hospital São José vão discutir nesta sexta- feira (8) as mudanças no tratamento da hepatite. O infectologista da Fiocruz, Estevão Portela, vai ministrar a palestra “Resistência ao Vírus C”. O evento será realizado no auditório do Hospital São José, na Rua Nestor Barbosa, 315, Parquelândia, a partir das 13h. O HSJ, da rede pública do Governo do Estado, é referência na assistência a pacientes com hepatite. A palestra faz parte da programação do Julho Amarelo. Julho foi instituído como o mês de luta e prevenção das Hepatites Virais pelo Ministério da Saúde e pelo Comitê Estadual de Hepatites Virais. O Dia Internacional da Luta contra as Hepatites Virais é 28 de julho, mas durante todo o mês vários órgãos se mobilizam com ações educativas, realização de testes, orientações sobre tratamento. As atividades acontecem dentro e fora das unidades hospitalares.

Atualmente, no ambulatório de hepatites virais do Hospital São José, da rede pública do Governo do Estado, quatro mil pacientes são acompanhados para tratamento de hepatite B e C. O tratamento acontece com medicamentos e monitoramento para controle. A chance de cura com o tratamento chega a 95%. Os novos tipos de medicamentos, que desde 2015 são disponibilizados na rede pública, são apontados como mais eficazes, com maior chance de cura em menor tempo de tratamento.

Cerca de 2% da população do Ceará tem hepatite tipo B ou C, Segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. As últimas estatísticas do Ministério indicam três milhões de brasileiros com o vírus da hepatite C e 3 milhões com o vírus da hepatite B. Isso representa 6 vezes o número de pessoas vivendo com o HIV.

A hepatite pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. É uma doença silenciosa que nem sempre apresenta sintomas, mas, quando aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C.

PROGRAMAÇÃO JULHO AMARELO CEARÁ – PROMOÇÃO: COMITÊ ESTADUAL DE HEPATITES VIRAIS – SESA – CE

8 de julho – 13h

Palestra “Resistência ao Vírus C” com , Dr. Estêvão Portela, infectologista da Fiocruz, vai ministrar a palestra “Resistência ao Vírus C” – Auditório do Hospital São José (R. Nestor Barbosa, 315, Parquelândia), a partir das 12h.

15 de julho –  8h às 17h

Testes rápidos e vacinação contra a hepatite B no Lar Torres de Melo.

28 de julho – 8h Dia Internacional de Luta contra as Hepatites Virais

Local: Hospital São José

Triagem de hepatites no ambulatório do HSJ
Mini-palestras sobre testagem
Vacina contra hepatite B

O Movimento Julho Amarelo no Ceará é uma promoção do Comitê Estadual de Hepatites Virais, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). É uma realização dos Ambulatórios de Hepatites do Hospital Universitário Walter Cantídio; Hospital São José (HSJ); Hospital Geral de Fortaleza (HGF); Sociedade Cearense de Infectologia (SCI); Grupo ABC Vida de Apoio aos Portadores de Hepatites; Associação Cearense dos Pacientes Hepáticos e Transplantados (Acephet); Associação Brasileira dos Portadores de Hepatites (ABPH); Grupo de Geriatria, Ligastro e Liga de Infectologia da Unifor; Liga de Enfermagem do Serviço de Transplante de Fígado do HUWC; e Residência Multiprofissional do HSJ.

Situações de risco de contágio de hepatites
– Contágio fecal-oral: condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos (vírus A e E).
– Transmissão sanguínea: praticou sexo desprotegido, compartilhou seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B,C e D).
-Transmissão sanguínea: da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação (vírus B,C e D).

07.07.2016

Assessoria de Comunicação do Hospital São José
Franciane Amaral
(85) 3101-2371/ 9 8961.3880

Expediente coordenadoria-01