Semana do Hospital: conheça a história da servidora que trabalha há 45 anos no HGF

18 de julho de 2016 # # # # # #

A auxiliar de enfermagem Iraides Maria Sousa Silva dedica-se, há 45 anos, ao HGF, que neste ano completou 47 anos de fundação e é o maior da rede pública do Governo do Ceará

Há profissionais com histórias de vida que se confundem com a da instituição onde trabalham. Iraides Maria Sousa Silva, 75 anos, é uma dessas pessoas. A auxiliar de enfermagem do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), maior da rede pública do Governo do Ceará, dedica 45 anos de sua vida ao HGF, que em maio deste ano completou 47 anos de fundação.

rHGF9Iraides começou a trabalhar no HGF quando tinha 30 anos. “Entrei como copeira do hospital. Aliás, eu não fiz concurso para o HGF e sim para o Departamento Administrativo do Serviço Público (Dasp) e acabei tendo uma surpresa quando vi que fui selecionada para trabalhar aqui. Fui nomeada como copeira e atuei assim durante nove anos”, conta. Uma pessoa ativa e disposta a novos desafios, Iraides buscou se especializar e fez o curso de telefonista e auxiliar de serviços médicos. Foi quando mudou de função e passou a trabalhar como telefonista, durante seis anos.

Após as jornadas de trabalho na telefonia, os passos curtos e rápidos de Iraides pelos corredores do HGF na busca por dar assistência aos pacientes e visitantes chamaram a atenção da equipe médica. “Não sei como descobriram que eu fiz o curso de auxiliar de enfermagem, mas comecei a receber convites de vários médicos para novamente mudar de área. Como eu me doava muito, os cirurgiões Nadra Ary e Francisco Nogueira me convenceram a tratar diretamente com os pacientes”, explica.

rHGF3Essa escolha marcava apenas o começo de um novo momento na vida de Iraides e na história do hospital, que evoluíram juntos. “Comecei a trabalhar no setor de Pequenas Cirurgias, com o Dr. José Mourano, cirurgião geral, que me ensinou tudo. Mas vi que precisava me especializar mais, então fiz o curso de técnico de enfermagem do Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem (Profae). Segui caminhando lentamente e recebi do cardiologista Luís Paiva o convite para fazer mais um curso, o de eletrocardiograma (ECG), na UTI do HGF”, relembra de sua última especialização, em 1998, quando passou a realizar os exames de ECG no setor de cardiologia, onde trabalha até hoje.

Na época da fundação do hospital, quase todos os funcionários eram servidores federais, e o HGF era conhecido como o hospital do extinto Instituto Nacional de Assistência Médica, Previdenciária e Social (INAMPS), idealizado para ser Centro de Referência para o Norte e Nordeste em assistência de alta complexidade.

Iraides se emociona ao lembrar do passado. “Eu era bem próxima do treinador de futebol Ivonísio Mosca de Carvalho. Ele foi o amigo que mais me marcou e emocionou, pois foi para o lado de Deus muito cedo e eu estava com ele na hora. Tem também alguns médicos aqui do hospital e eu fui muito amiga do cardiologista Francisco Nogueira, que faleceu recentemente. Ainda estou sentindo essa perda. Esse pessoal todo foi um conjunto de aprendizado, de cada um eu aprendi uma coisa”, diz.

Para ela, poder ajudar as pessoas é mais que gratificante, é um misto de emoção e empatia. “Quando tinha uns três anos de idade, eu sempre dizia ao papai que eu queria ter mais de mil filhos. Quando eu comecei a ver minhas colegas todas casadas, tendo filhos e chorando, eu não queria mais. Fiquei com medo, mas hoje eu vejo que esse meu desejo foi realizado e aquilo que eu dizia quando criança, todas essas pessoas que eu atendi aqui no Hospital Geral de Fortaleza são como filhos para mim. Foram meus mil filhos que eu queria ter desde pequena”, diz.

Maior hospital da rede pública estadual

O Hospital Geral de Fortaleza foi fundado em 23 de maio de 1969, com 563 leitos, entre eletivos, emergência, obstetrícia e unidades de terapia intensiva adulto e neonatal. O HGF é referência em procedimentos de alta complexidade. Realiza transplantes, neurocirurgias e presta assistência em Acidente Vascular Cerebral (AVC) e outras patologias neurológicas, ortopedia, obstetrícia de alto risco, tratamentos clínicos especializados. Integra a rede de Hospitais Sentinelas, Hospital Amigo da Criança, Rede Cegonha e Programa SOS Emergência, do Ministério da Saúde.

Maior hospital público da rede estadual, o HGF é referência em 63 especialidades e subespecialidades e conta com uma equipe de 4.516 funcionários. A unidade atende por ano uma média de 14 mil pessoas na emergência e 237 mil pacientes receberam atendimento ambulatorial. Em 2016, o hospital já realizou 3.776 cirurgias emergenciais e eletivas, 5.500 atendimentos na emergência e 78 mil consultas no ambulatório. Em relação a exames, já foram realizados 709 mil.

O hospital mantém o único banco público de olhos do Estado, fazendo a captação, preservação e distribuição de córneas para os 15 centros transplantadores de todo o Ceará. Além de realizar transplantes de córneas, faz transplantes de fígado, pâncreas e rim. O Hospital Geral é também um dos maiores centros de treinamento do País, certificado por portaria interministerial dos Ministérios da Saúde e da Educação como hospital de ensino, atuando na formação de médicos em 26 especialidades

Leia mais: Dia Mundial do Hospital: Ceará realiza milhões de atendimentos na rede de saúde da Capital ao Interior

18.07.2016

Assessoria de Comunicação do HGF
Débora Morais
(85) 3101.7086 / 98726.1212
debora.morais@hgf.ce.gov.br
Twitter: @Hospital_HGF

Assinatura coornenadoria matérias