Projeto de qualificação da atenção especializada começa nesta quinta (28)

27 de julho de 2016

O processo de estruturação das redes integradas de atenção à saúde no Ceará dá mais um passo com a realização das oficinas iniciais do Projeto de Qualificação da Atenção Ambulatorial Especializada nas Redes de Atenção às Condições Crônicas (QualificaESPSUS Ceará), que vai apoiar as policlínicas regionais na implantação do novo modelo de atenção proposto pela Secretaria da Saúde do Estado e integrá-la às equipes de Atenção Primária à Saúde. A Oficina 1 – A Atenção Ambulatorial Especializada nas Redes de Atenção às Condições Crônicas e a Oficina 2  – A integração entre a Atenção Primária à Saúde e a Policlínica reunirão nesta quinta (28) e sexta (29), na Rua Barão de Aracati, 94, Praia de Iracema, a partir das 8 horas, gestores e trabalhadores das policlínicas regionais de Sobral e Tauá, técnicos das Coordenadorias Regionais de Saúde, coordenadores atenção primária dos 28 municípios das duas regiões, representantes da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/Ce) e do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde.

Um dos requisitos para a implantação do novo modelo nas policlínicas é que a atenção primária à saúde identifique a população-alvo, estratifique o risco e encaminhe para o atendimento especializado apenas os pacientes com alto e muito alto risco. Para tanto, a Secretaria da Saúde do Estado lançou, em janeiro de 2016, o Projeto de Qualificação da Atenção Primária à Saúde (QualificAPSUS Ceará), com o objetivo de apoiar os municípios no fortalecimento da atenção primária para que as equipes possam cumprir as funções de responsabilização pela saúde da população adscrita, de comunicação nas redes de atenção à saúde e de resolução de grande parte dos problemas de saúde da população sob sua responsabilidade, além de assumir a coordenação do cuidado nas redes de atenção à saúde nas condições crônicas e participar da rede de atenção às urgências.

Para iniciar o Projeto QualificaESPSUS Ceará foram indicadas duas policlínicas regionais de portes distintos: as policlínica regionais de Tauá e Sobral. Nas duas regiões de saúde, 100% dos  municípios aderiram ao Projeto QualificAPSUS Ceará e já iniciaram as oficinas regionais com 1.420 trabalhadores da atenção primária. Além disso, os municípios-sede das duas regiões (Tauá e Sobral) já passaram por processos de qualificação da Atenção Primária à Saúde e as equipes já avançaram na estratificação de risco para as gestantes, crianças, hipertensos e diabéticos.

Com a realização das duas oficinas do QualificaESPSUS, além do alinhamento conceitual sobre Redes de Atenção, Modelo de Atenção às Condições Crônicas e Atenção Ambulatorial Especializada, será aplicado o Instrumento de Avaliação da Atenção Ambulatorial Especializada nas Redes de Atenção à Saúde e, consequente, elaborado o plano de ação para implementação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas nas duas policlínicas. Da mesma forma, será dado início ao processo de identificação das equipes da atenção primária vinculadas às policlínicas, bem como à identificação e dimensionamento da população-alvo pelas equipes da atenção primária, programação assistencial para a população-alvo e agendamento dos atendimentos pelas equipes da atenção primária.

Em julho de 2015 o consultor Eugênio Vilaça participou do ciclo de atividades Momento Gestão, promovido pela Secretaria da Saúde do Estado, com palestra sobre “Modelos de Atenção em Saúde – perspectivas para o Estado do Ceará”. Naquela oportunidade, ao afirmar que a implantação das redes de atenção à saúde é a solução para o quadro atual da saúde pública no Brasil, Vilaça disse que o Ceará reúne as condições para seguir esse caminho por ter sido pioneiro na implantação dos agentes comunitários de saúde, do Programa Saúde da Família e da regionalização da saúde.

Contraponto ao modelo fragmentado de atenção à saúde, caracterizado pelo descompasso entre o sistema de atenção e a situação epidemiológica da população, as redes de atenção à saúde estruturam-se para enfrentar uma condição de saúde específica, por meio de um ciclo completo de atendimento, o que implica a continuidade da atenção (primária, secundária e terciária) e a sua integralidade, envolvendo ações de promoção, de prevenção e de gestão das condições de saúde, estabelecidas por meio de intervenções de cura, cuidado, reabilitação e paliação. Para Vilaça, a solução para a crise da saúde é mudar o sistema atual e integrá-lo em rede.

No projeto encampado pela Secretaria da Saúde do Estado, a coordenação das redes de atenção sejam da atenção primária, que tem a capacidade de atender e resolver 90% dos problemas de saúde da população. Vilaça identifica na  situação epidemiológica da população cearense uma “tripla carga de doenças” caracterizada por uma agenda não concluída de infecções e desnutrição, crescimento das causas externas e as doenças crônica com os fatores de risco a elas associados. Para fazer face a essa situação, o sistema de rede estrutura modelos de atenção tanto às condições agudas quanto às condições crônicas de saúde. O Projeto da Secretaria da Saúde do Estado avança nessa perspectiva.

27.07.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente coordenadoria-01