Seminário aprimora enfermagem obstétrica na assistência ao parto

28 de julho de 2016

Fortalecer iniciativas de hospitais e maternidades para a mudança do modelo assistencial e a inserção de enfermeiros obstetras na assistência ao parto e nascimento. Esse é o objetivo do “III Seminário de Aprimoramento da Enfermagem Obstétrica”, que ocorrerá no dia 1º de agosto, das 8 às 17 horas, na Rua Barão de Aracati, 94, Praia de Iracema, em Fortaleza. O seminário é resultado de parcerias de um conjunto de instituições: Secretaria da Saúde do Estado, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, Hospital Sofia Feldman, Universidade Federal de Minas Gerais, Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza, Associação Brasileira de Enfermagem Obstétrica/ Ce e Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica da Universidade Federal do Ceará.

Enfermeiros obstetras, gestores e profissionais de saúde, do movimento de mulheres e de instituições de classe, no total de 150, participarão do seminário, que tem uma programação densa, com três palestras, mesa redonda e relatos de experiências. Uma das palestras, marcada para as 10 horas, aborda “O exercício da enfermagem obstétrica no Ceará: avanços e desafios, com a presidente da Associação Brasileira de Enfermagem Obstétrica, no Ceará, Francisca Alice Cunha Rodrigues. Em seguida, às 10h30, terá início a mesa redonda “Aprimoramento em Enfermagem Obstétrica: experiências com o modelo colaborativo no parto e nascimento”. Mediadora: Adriana Lima Melo, apoiadora do Ministério da Saúde. Antes, às 9h30min, ela fará a palestra “A Rede Cegonha no Brasil e no Ceará: desafios e perspectivas”.

A Rede Cegonha foi lançada em 2011 pelo Ministério da Saúde para reforçar a assistência humanizada às mulheres acolhidas e atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), desde o momento da confirmação da gravidez até os dois primeiros anos de vida dos bebês. É a garantia do direito ao planejamento reprodutivo seguro e o nascimento, crescimento e desenvolvimento saudáveis tanto para as mães como para os bebês. Uma das diretrizes da Rede Cegonha está na mudança do modelo da atenção aplicado ao parto e ao nascimento.

Na estratégia Rede Cegonha estão previstos centros de partos normais, que funcionam em conjunto com as maternidades para humanizar o parto e o nascimento. Está prevista também a presença obrigatória dos enfermeiros obstetras no serviço. A Secretaria da Saúde do Estado há alguns anos já vem preparando os enfermeiros e enfermeiras. Em 2010, formou 140 especialistas em enfermagem obstétrica e neonatal, através de curso promovido em parceria com a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/Ce), vinculada da Sesa, e apoio do Ministério da Saúde.

Mais informações com o Núcleo de Saúde da Mulher, Adolescente e Criança da Coordenadoria de Políticas e Atenção à Saúde (Nusmac /COPAS/Sesa): (85) 3101. 5282/ 3101.5193

28.07.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente coordenadoria-01