Seminário debate as políticas públicas de igualdade racial no Ceará

23 de agosto de 2016

Dados do Sistema Nacional de Empregos (Sine) revelam que, do período de janeiro a julho de 2016, de 36.492 empregados no Estado, 31.097 são da cor parda, 3.986 são da cor branca e apenas 1.145 de cor preta, 178 de cor amarela, 56 não informado e 30 indígenas. Da mesma forma a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, mostra que de um total de 387,4 mil pós-graduandos no país, 112 mil eram negros – menos da metade dos 270,6 mil brancos.

Em meio a essa realidade, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), através da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Promoção de Igualdade Racial do Estado do Ceará, vinculada ao Gabinete do Governador, realiza nesta quarta-feira (24), de 13h às 17h, o Seminário Caminhos para a Igualdade Racial: Desafios e Possibilidades. O encontro acontecerá no auditório da STDS e será um momento de troca de experiências e relatos de quem trabalha diretamente com os cidadãos que ainda tem que lutar para garantir seu direito de existir e viver com dignidade.

Nova Mentalidade

“Nós lutamos diariamente com políticas públicas voltadas ao público mais vulnerável da nossa cidade, instalamos sete Centros de Inclusão Tecnológica e Social nos bairros periféricos, oferecemos projetos de capacitação profissional, como Primeiro Passo e Criando Oportunidade, além da Escola de Vida, Sabor e Arte (Evisa) e do Centro de Inclusão Para Pessoa com Deficiência (CEPID), que possibilitam oportunidades para esses cidadãos, que, como ninguém, sabem o que é a desigualdade na pele. Analisando os dados, percebo o quanto ainda precisamos avançar e lutar por mudanças na mentalidade da nossa sociedade”, declara o titular da STDS, Josbertini Clementino.

Para o economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio Econômicos (DIEESE), Ediran Teixeira, no Ceará, assim como em outros estados do Brasil, o tratamento desigual é por vezes pior quando se trata da exclusão social de negros e negras na sociedade brasileira. “Infelizmente, a nossa sociedade ainda relega ao negro os postos de trabalho com menor qualificação e menor remuneração. Fato que a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) retrata muito bem, quando mostra a persistência na procura e a negação dos espaços de trabalho que os mantém em tempo maior na fila de espera. Outro fator é que quando comparado ao sexo, observamos que a discriminação com as mulheres, que é muito presente no mercado de trabalho, é mais intensa se a cor da pele é negra” explica Ediran.

No Seminário debaterão sobre a realidade do nosso Estado e as políticas públicas para a área a professora Zelma Madeira, coordenadora Especial de Promoção de Políticas de Igualdade Racial do Estado do Ceará; o economista Ediran Teixeira, do DIEESE, e o coordenador de Promoção do Trabalho e Renda da STDS, Pedro Capibaribe.

 

Serviço:

Seminário Caminhos para Igualdade Racial: Desafios e Possibilidades

Data: 24 de agosto, quarta-feira
Hora: 13h às 17h
Local: Auditório da STDS (Rua Soriano Albuquerque, 230 – Joaquim Távora)

23.08.2016

Assessoria de Comunicação Social
Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social – STDS
Jornalista responsável: Carlos Eugênio
Celular: 98878.8510
Fone: 3101.2089 / 2099
E-mail: imprensa@stds.ce.gov.br
Twitter: www.twitter.com/stdsonline