Trajetos EnCena estreia dois espetáculos na Bienal Internacional de Dança

19 de outubro de 2016

Após dois meses de intenso percurso de formação, o Trajetos EnCena: Ateliês de Criação, Formação, Produção e Cenotécnica estreia dois espetáculos na Bienal Internacional de Dança do Ceará De Par Em Par no Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ). A estreia do espetáculo “Escarcéu” acontece neste sábado (22), às 19h, e o “A coragem se faz é no corpo!”, na próxima terça (25), também às 19h, no Teatro Marcus Miranda.

Idealizado em parceria com a Bienal Internacional de Dança, o Trajetos EnCena trata-se de uma ação a um só tempo artística e formativa que se mobiliza a partir da seguinte questão: como contribuir para o acesso de jovens e adolescentes aos saberes-fazeres da cena teatral, seja no palco ou nas coxias?

Durante os meses de setembro e outubro, cerca de 80 adolescentes e jovens, moradores de bairros do Grande Bom Jardim, participaram dos Ateliês Criativos em Artes Cênicas, com Edvan Monteiro e Andréa Bardawil, e dos Laboratórios Técnicos em Cenotécnica, com Yuri Yamamoto, em Figurino, com Gil Braga, e em Iluminação Cênica, com Walter Façanha. Todos foram selecionados por meio de chamada pública.

A proposta do Trajetos EnCena é tanto possibilitar aos jovens o acesso aos palcos, atuando como bailarinos, atores e atrizes de espetáculos cênicos, assim como às coxias, por meio da profissionalização em áreas convergentes ao fazer artístico. Durante a Bienal, além de apresentarem os espetáculos para públicos de diferentes locais do Brasil e do mundo, também poderão integrar as equipes técnicas do evento.

DE PAR EM PAR

A Bienal Internacional de Dança do Ceará De Par Em Par acontece entre os dias 21 e 30 de outubro. Esta é a sua quinta edição e, assim como em anos anteriores, continua a investir na descentralização da programação distribuindo as ações de difusão em diferentes palcos da capital – Pavilhão Atlântico, Farol do Mucuripe, Teatro Dragão do Mar, SESC Iracema, Cineteatro São Luiz, Teatro da Boca Rica, Centro Cultural Bom Jardim, e Cena 15 –, além de apresentar espetáculos em Sobral, Itapipoca, Trairi, Paracuru e Juazeiro do Norte.

ESCARCÉU

DSC8546

Ensaio do espetáculo “Escarcéu”. Foto San Cruz

Com coreografia e direção de Edvan Monteiro, trilha sonora de Ariadne Filipe e Edvan Monteiro e assistência de coreografia e direção de Silvana Marques, “Escarcéu” é um trabalho que compõe uma trilogia e propõe uma hipérbole do real, o absurdo cotidiano, desnudando a superfície das coisas com as quais o homem se habituou a viver. Desnuda suas relações com o exagero, onde se revela a ideia de que viver no absurdo é tão comum que um momento de sensibilidade é ilusório e irreal.

Toda a composição coreográfica vem da observação do encontro de ondas, formando um escarcéu. Toda a movimentação reflete num ciclo sem fim de ondas que se arrastam, que se chocam, que destroem num constante fluxo de movimento que é por vezes inacabado num tsunami de coisas.

Edvan Monteiro é formado em balé clássico, dança moderna e contemporânea. Nascido no bairro Vicente Pinzón, em Fortaleza (CE), foi integrante da EDISCA (Escola de Integração Social para crianças e adolescentes), onde se formou em balé clássico, dança moderna e contemporânea. É fundador, diretor artístico, coreógrafo e bailarino da Cia Etra de dança contemporânea e, atualmente vive em Santos/SP, onde realiza pesquisas de movimento através da dança contemporânea tentando agregar fotografia, artes visuais, música, vídeo e teatro.

A CORAGEM SE FAZ É NO CORPO!

DSC9165

Ensaio do espetáculo “A coragem se faz é no corpo!”. Foto San Cruz

Com direção de Andréa Bardawil e assistência de Sâmia Bittencourt, este espetáculo partiu do percurso de formação do Trajetos EnCena e teve como objetivo potencializar e desenvolver um processo de criação coletiva, a partir da experimentação de algumas técnicas de composição e improvisação com o grupo.

Dessa forma, toda experiência em dança e, principalmente, as histórias de vida de cada participante foram acolhidas no processo, transformando-se em material de trabalho para a composição. As lembranças, histórias, medos, os riscos e as alegrias desse Grande Bom Jardim traduzindo-se em diferentes corporeidades, inscrevendo-se nesse trajeto como um grito: a coragem se faz é no corpo!

Andréa Bardawil é coreógrafa e diretora da Companhia da Arte Andanças desde 1991, onde realiza projetos de pesquisa e colaboração artística. Foi uma das fundadoras da ONG ALPENDRE – Casa de Arte, Pesquisa e Produção, onde desenvolveu pesquisas na área de vídeo-dança, junto com o videomaker Alexandre Veras. Atuou como curadora e coordenadora pedagógica eventos pelo Brasil, como a Bienal Internacional de Dança do Ceará e a Bienal Internacional de Santos/SP, foi coordenadora do Curso Técnico em Dança, realizado em uma parceria entre SENAC, SECULT e Instituto de Arte e Cultura do Ceará – IACC. Atualmente, trabalha no projeto Devoração, com a Cia. da Arte Andanças.

:: SERVIÇO

DIA 22 (SÁBADO), ÀS 19H
Escarcéu
Direção: Edvan Monteiro
Local: Teatro Marcus Miranda – CCBJ
Classificação: 16 anos

DIA 25 (TERÇA), ÀS 19H
A coragem se faz é no corpo!
Direção: Andréa Bardawil
Local: Teatro Marcus Miranda – CCBJ
Classificação: Livre

Entrada gratuita

Acesse
Site: http://www.ccbj.org.br
Facebook: Centro Cultural Bom Jardim
Instagram: @centroculturalbomjardim

Bienal Internacional de Dança: http://www.bienaldedanca.com/

Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ)
Rua Três Corações, 400 – Bom Jardim – Fortaleza (CE)

19.10.2016

Assessoria de Comunicação do Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ)
Amanda Nogueira (MTE CE 2408 JP)
Contatos: 85 996.001.885 | 85 3245.9036 | comunicacao.ccbj@gmail.com

Expediente imprensa 10out-01