SPD: cresce procura por parte de usuários de drogas

28 de outubro de 2016

Desde adolescente, Francisca Venâncio, hoje com 43 anos, sofre de problemas causados pelo uso abusivo de álcool e tabaco. Seu desejo era de superar a dependência, mas nem ela nem seus familiares sabiam onde procurar ajuda. Assistindo a uma matéria na TV, a dona de casa tomou conhecimento da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) e não perdeu tempo. Ela procurou a pasta e recebeu o acolhimento e o encaminhamento necessários. Agora, só pensa em fazer o tratamento indicado e abraçar uma vida nova.

José Rubens tem 28 anos. Desde os 16 anos, é dependente de crack e vive nas ruas de Fortaleza. Em contato com profissionais engajados no Projeto Corre Pra Vida, o jovem ficou sabendo dos serviços oferecidos pela SPD. Ele compareceu à Secretaria, recebeu as orientações necessárias e vai iniciar o tratamento indicado. O rapaz vê seu futuro ganhar novas cores, sem os traços da escuridão da dependência química.      

Francisca e Rubens são dois dos muitos usuários de drogas que estão ganhando a chance de se livrar da dependência química ao buscarem ajuda especializada na SPD. Criada há pouco mais de um ano pelo governador Camilo Santana, a pasta tem desenvolvido uma série de ações no âmbito dos seus três eixos de atuação: prevenção, acolhimento e tratamento e a reinserção social e profissional do dependente químico. O resultado é a procura crescente pelos serviços por pessoas com problemas relacionados ao uso de álcool e outras drogas.

O principal equipamento de acolhimento disponibilizado pela Secretaria é o Centro de Referência sobre Drogas (CRD), que funciona na sede da pasta. Hoje, são realizados cerca de 450 atendimentos presenciais/mês. O primeiro procedimento é a identificação biométrica do usuário. Em seguida, ele é encaminhado para atendimento especializado por parte de um psicólogo ou enfermeiro do Centro. A partir da identificação do perfil do usuário pelo profissional, é feito o encaminhamento para um dos equipamentos que integram a Rede de Atenção Psicossocial (Raps), a Rede Sistema Único de Assistência Social (Suas) ou a rede de apoio.

Dependendo do perfil, o usuário também pode ser encaminhado para acolhimento em uma das comunidades terapêuticas (CTs), que atuam na forma de prestação de serviços e compõem o Sistema Acolhe Ceará. Atualmente, são disponibilizadas 463 vagas. O acolhimento é voluntário. As unidades têm suas atividades monitoradas e avaliadas por parte da SPD para garantir o atendimento adequado e a oferta de serviços de qualidade aos acolhidos.

A secretária Especial de Políticas sobre Drogas, Mirian Sobreira, acrescenta que, além do atendimento presencial no CRD, o público também pode obter informações/orientações profissionais através do telefone 0800.2751475. A titular da SPD ressalta que a pasta tem vencido o desafio constante da intersetorialidade e da transversalidade entre as políticas públicas e o terceiro setor e reforçado iniciativas comunitárias na perspectiva da promoção da cidadania.

Serviço:

Centro de Referência sobre Drogas (CRD) da SPD

Local: Rua Oto de Alencar, 193, bairro Jacarecanga (defronte à praça do Colégio Liceu do Ceará)
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas
Teleatendimento: 0800.2751475

28.10.2016

Daniela Negreiros
Assessora de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)
(85) 3238.5090 / 98902.7939 – comunicacao@spd.ce.gov.br / daniela.negreiros@spd.ce.gov.brwww.spd.ce.gov.br
Facebook: spdceara
Twitter: @spdceara
Fernando Brito
Repórter

Expediente imprensa 10out-01