Vacinação de cães e gatos contra a raiva está em 71%

25 de novembro de 2016

A campanha de vacinação contra a raiva no Ceará está com cobertura de 70,92% dos 1.244.747 cães que devem ser imunizados em todo o Estado, com 882.733 doses aplicadas até a manhã desta sexta-feira (25). A meta de 80% de cobertura vacinal já foi alcançada por 93 dos 184 municípios do Ceará. Foram também vacinados em todo o Estado 408.373. A campanha de vacinação prossegue até o dia 12 de dezembro e os donos de cães e gatos têm ainda pouco mais de duas semanas para levar seu pet a um posto de vacinação em seus municípios.

Em 2015 a cobertura vacinal no Ceará superou a estimativa da população de cães no Estado e ficou em 101,89%, com a imunização de 1.140.728 animais. Também foram imunizados 517.473 gatos. A vacinação é a única forma de evitar que animais domésticos contraiam raiva e transmitam a doença para humanos.

Os donos dos cães e gatos devem levar para vacinar os animais a partir dos três meses de vida, inclusive fêmeas prenhas, evitando vacinar animais doentes. A raiva é uma doença viral que pode ser transmitida ao homem por mordida, lambida ou arranhão de um animal infectado. A taxa de letalidade entre humanos é próxima de 100%. Em média, ocorrem 30 mil agressões de animais a humanos a cada ano, 2,5 mil por mês e 94 por dia.

Além da vacinação dos animais domésticos, as secretarias de saúde dos municípios devem ser acionadas para capturar os animais de rua que podem portar a doença. Nas cidades, a presença de morcegos deve ser notificada aos departamentos de zoonoses. De janeiro a setembro deste ano, o diagnóstico laboratorial de 39 casos de raiva animal identificou 32 casos em animais silvestres – 28 em morcegos em área urbana, três em raposas e um em soim – que podem infectar animais domésticos, como cães e gatos.

Cuidados ao vacinar

Para evitar possíveis acidentes e garantir a segurança do animal e da equipe de vacinação, é necessário que os donos dos cães e gatos adotem algumas medidas de precaução ao levar o bicho de estimação para vacinar. O cão deve estar devidamente com guia e coleira. Em caso de cão bravo deve-se adotar a focinheira. Gatos precisam ser conduzidos em caixas específicas para evitar fugas. Dessa forma o animal e a equipe de vacinação estarão seguros de possíveis acidentes.

25.11.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel  (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 23nov 2016-01