História da Medicina Legal no Ceará é contada em livro

1 de dezembro de 2016

A história da Medicina Legal no Estado do Ceará foi pesquisada e se apresenta ao público em uma obra de 370 páginas. Com uma linguagem didática e repleta de curiosidades, o livro Corpus Delicti Medicina Legal no Ceará, dos autores Renato Evando Moreira Filho e Sângelo André Ribeiro Abreu, revela a trajetória da Medicina Legal e as relações que possui com o Direito e os demais campos da Medicina. O livro será lançado, nesta quinta-feira (1º), na Universidade Federal do Ceará (UFC).

A obra convida o leitor a percorrer os mesmos caminhos trilhados pela Medina Legal desde a época do Brasil colônia, bem como a conhecer os desafios vivenciados e os avanços que resultaram na implantação da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). “O livro tenta mostrar como chegamos aqui, até nos tornamos referencial para o Brasil”, explica o autor Renato Evando, ao enfatizar que a Pefoce é referência nacional. A produção destaca a atuação dos profissionais da Medicina Legal frente à materialidade das provas, nos inquéritos policiais e ações judiciais. Os autores, naturais de Fortaleza, são graduados em Medicina. Renato também é graduado em Direito e Coordenador de Medicina Legal da Pefoce, entre ouras atribuições. E Sângelo é especialista em Ortopedia, Traumatologia e Cirurgia da Mão e médico legista da Pefoce, entre outras funções.

De acordo com Renato, a produção é inédita no Brasil. “Não existe outro livro dedicado a essa temática”, ressalta. Alguns capítulos são dedicados aos estudos da Medicina no Ceará e esclarecem a conexão de outras especialidades médicas com médico legista. “Muitas pessoas acham que a Medicina Legal se resume ao cadáver e ao necrotério. Queremos quebrar esta imagem”, explica o autor, detalhando que o campo de estudos é bem amplo e alcança outras áreas da saúde.

O leitor vai conhecer o tempo no qual a perícia era chamada de “vistoria” e descobrir que, em determinada época, as perícias não eram feitas por médicos. Há relatos de casos de estupro nos quais as parteiras assumiam o papel de perito, com a descrição oral como única prova e a mão sobre a Bíblia em juramento.

A ideia de escrever o livro surgiu a partir do momento em que os autores quiseram entender o passado da Medicina Legal, desde a colônia Siará até o Estado do Ceará. “A partir dessa inquietação, iniciamos o trabalho de coleta de informações”, detalha Renato, citando a frase de um pensador: “Aquele que não conhece sua história, pouco sabe da sua arte”. O levantamento dos dados, desde fotografias a fatos históricos, levou mais de dois anos para ser feito, em bancos de dados de várias instituições.

Renato completa ao destacar que o Corpus Delicti Medicina Legal no Ceará “é pra quem tem curiosidade”, deixando claro que o livro não é direcionado à comunidade científica. “A gente vê diariamente pessoas que querem saber como o IML (Instituto Médico Legal) funciona ou como é a atuação da Medicina Legal. Pensando nisso, a intenção é informar”. Ao ser perguntado sobre uma segunda publicação, ele responde: “A história se continua. Talvez uma segunda edição, quem sabe”, revela.

Além de mostrar aspectos históricos e culturais, o livro conta alguns casos que receberam notória repercussão e fatos curiosos ainda não revelados, como, por exemplo, que o primeiro médico legista do Ceará foi Amadeu Furtado, que também assumiu, de forma interina, o cargo de governador do Estado. O caso dos portugueses enterrados nas areias da Praia do Futuro e o I Congresso Brasileiro de Medicina Legal e Perícias Médicas, ocorrido em Fortaleza, que consagrou a nova especialidade, também são mencionados, entre tantos outros fatos.

Amanhã (1º), durante o evento de lançamento, o livro será apresentado pelo professor aposentado Dalgimar Beserra de Menezes, do Departamento de Patologina e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da UFC e livre Docente em Anatomia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Em seguida, as explanações ficam por conta dos autores, que recepcionaram o público com um coquetel e autógrafos. A partir desta quinta, o livro Corpus Delicti Medicina Legal no Ceará poderá ser adquirido no local do evento e, posteriormente, no Centro de Estudos da Pefoce.

Serviço:

Lançamento do livro Corpus Delicti Medicina Legal no Ceará

Local: Auditório Castelo Branco – Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) – Sessão de autógrafos e coquetel no Jardins da Reitoria
Data: 1º de dezembro de 2016
Hora: 19 horas

01.12.2016

Assessoria de Comunicação da SSPDS
Kélia Jácome – (85) 3101.6517
kelia.jacome@sspds.ce.gov.br

Expediente imprensa 23nov 2016-01