Violência contra a mulher: Ceará resolve caso de feminicídio em tempo recorde

6 de dezembro de 2016


De acordo com a lei, feminicídio é o crime praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino

O combate à violência contra a mulher é uma luta diária no Brasil. No Ceará, o número de denúncias cresce a cada ano e, para dar o devido suporte e atendimento às mulheres, o Estado vem fortalecendo sua rede de enfrentamento a esse tipo de violência. O resultado desse esforço foi a resolução de um caso de feminicídio em sete meses, tempo recorde no Estado.

JW3683De acordo com a delegada Ivana Marques, da Delegacia de Defesa da Mulher de Caucaia, o trabalho integrado das Polícias Militar e Civil e da justiça permitiram que o crime, praticado em abril deste ano, fosse resolvido de forma rápida, com a condenação do acusado em novembro.

A delegada conta que a vítima, Francisca Regianea Pereira Forte, de 26 anos, estava grávida de seis meses e foi morta a facadas por se recusar a interromper a gravidez. O agressor, Bruno Robson Cavalcante Saturno, de 19 anos, marcou, então, um encontro na praia do Icaraí, em Caucaia, e, horas depois, o corpo da jovem foi encontrado. “Rapidamente o acusado foi preso e foram investigados os pormenores do crime. Forçar a vítima a praticar aborto é um tipo de violência previsto na Lei Maria da Penha e o crime foi abrangido na nova lei do feminicídio, já que, a partir de março de 2015, a Lei 13.104 alterou o Código Penal. Com a mudança, o feminicídio foi incluído como qualificadora do homicídio e há previsão de aumento de pena em alguns casos, inclusive quando a morte se dá no período gestacional, o que, infelizmente, ocorreu nesse caso”, explica.

A coordenadora de Políticas para as Mulheres do Governo do Ceará, Camila Silveira, também ressalta a importância da legislação para a proteção das mulheres. “A Lei Maria da Penha completou 10 anos e estabeleceu a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. É um presente para as mulheres, uma libertação para as vítimas de violência. A lei é um das mais conceituadas do mundo e inclui cinco tipos de violência: física, moral, patrimonial, sexual e psicológica”, destaca a coordenadora.

Como denunciar

No Ceará, existem nove Delegacias de Defesa da Mulher, nos municípios de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Pacatuba, Sobral, Quixadá, Iguatu, Crato e Juazeiro. Na Capital, a unidade funciona 24 horas. “É muito importante que a mulher que passar por alguma situação de violência doméstica ou familiar compareça a uma das nove delegacias especializadas ou, na impossibilidade, a qualquer delegacia para registrar o boletim de ocorrência. Quanto antes tomarmos providências, mais rápido conseguiremos tomar as medidas protetivas e evitar crimes chocantes como esse. Os números da violência ainda são muito altos, há uma procura muito grande, mas isso também demonstra que as mulheres estão mais seguras e mais informadas”, informa a delegada Ivana Marques.

“A violência que era entre quatro paredes está
sendo descortinada. As mulheres estão se sentindo mais
seguras e estão denunciando”, afirma a delegada Ivana Marques.

JW361Camila Silveira acrescenta que, além das delegacias, as mulheres vítimas de violência podem ligar para a Central de Atendimento à Mulher (180) ou recorrer a outros equipamentos que o Estado oferece: o Centro de Referência e Apoio à Mulher e as duas unidades móveis, que percorrem todo o Interior. “O 180 é um mecanismos de libertação das mulheres vítimas de violência. Presente em mais de 40 países, tem a função de orientar em caso de violência doméstica e familiar. No Estado, temos as duas unidades móveis, que atendem principalmente as mulheres rurais, e o Centro de Referência, que funciona em Fortaleza, de 8h às 20h, com assessores jurídicos, psicólogos e assistentes sociais”, informa a coordenadora estadual Políticas para as Mulheres.

Feminicídio

A Lei 13.104, de 9 de março de 2015, alterou o art. 121 do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal, para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio, e o art. 1o da Lei no 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o feminicídio no rol dos crimes hediondos.

De acordo com a lei, feminicídio é o crime praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino. Isso envolve violência doméstica e familiar, e menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Em relação à pena, a lei diz que a pena do feminicídio é aumentada de um terço até a metade se o crime for praticado durante a gestação ou nos três meses posteriores ao parto; contra pessoa menor de 14 anos, maior de 60 anos ou com deficiência; e na presença de descendente ou de ascendente da vítima.

Serviço

Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher
Disque 190 – Polícia Militar
Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (CERAM)
Endereço: Rua Padre Francisco Pinto, no. 363 – Benfica, Fortaleza/CE
Fone: (85) 3101.2383

Delegacias de Defesa da Mulher

Delegacia de Defesa da Mulher – Caucaia

End.: Rua José da Rocha Sales, 155 – Centro – Caucaia-CE
Fone: (0xx85) 3101.7926/ 3101.7927 CEP: 61.605-085
Email: ddmcaucaia@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Crato

End.: Rua André Cartaxo, 478 – São Miguel – Crato-CE
Fone: (0xx88) 3102.1250 Fax: (0xx88) 3102.1180
Email: ddmcrato@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Fortaleza

End.: Rua Manuelito Moreira, 12 – Benfica- Fortaleza-CE
Fone: (0xx85) 3101.2495/ Fax: (0xx85) 3101.2486
Email: ddmfortaleza@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Iguatu

End.: Rua Martins Soares Moreno, s/n – Centro – Iguatu-CE
Fone: (0xx88) 3581.9454
Email: ddmiguatu@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Juazeiro do Norte

End.: Rua Joaquim Mansinho, s/n – Santa Tereza – Juazeiro do Norte-CE
Fone: (0xx88) 3102.1102
Email: ddmjuazeiro@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Maracanaú

End.: Rua Pe. José Holanda do Vale, 1961 – Piratininga – Maracanaú-CE
Fone: (0xx85) 3371.7834 /   3371.7835
Email: ddmmaracanau@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Sobral

End.: Av. Lúcia Sabóia, 830, Centro –  Sobral-CE
Fone: (0xx88) 3677.4282
Email: ddmsobral@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Quixadá

End.: Rua Vicente Albano de Sousa, 2072, Jardim dos Monolitos
Fone: (0xx88) 3412.8082 / CEP 63.900-000
Email: ddmquixada@policiacivil.ce.gov.br

Delegacia de Defesa da Mulher – Pacatuba

End.: Av. Marginal Nordeste, 751, Conj. Jereissati III
Fone: (0xx85) 3384.5820 / 3384.4203 / CEP 61.865-000
Email: ddmpacatuba@policiacivil.ce.gov.br

 

 

06.12.2016

Wania Caldas
Gestora / Célula de Conteúdo

Fotos:
José Wagner
Gestor de Célula / Fotografia

Edição de vídeo:
Weberte Lemos
Gestor de Célula / TV

Expediente imprensa 05dez 2016-01