Projeto do Hospital de Messejana ajuda na reabilitação de pacientes

8 de dezembro de 2016

Todas as terças e quintas-feiras, das 8 às 9 horas, o Bosque dos Eucaliptos do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, da rede pública do Governo do Ceará, ganha mais vida com a movimentação dos pacientes que participam do Projeto Caminhada no Bosque. A iniciativa atende aos que concluíram os três meses de tratamento no Programa de Reabilitação Pulmonar. Participam pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica, hipertensão pulmonar, asma, câncer de pulmão, fibrose pulmonar e pneumopatias crônicas em geral. “São pacientes reabilitados que tiveram uma melhora extraordinária, diminuindo as internações hospitalares em 75%. Foram conscientizados sobre a importância dos exercícios físicos em suas vidas, conquistaram mais qualidade de vida, autonomia nas atividades diárias, adquiriram mudanças de hábitos”, diz Maria Tereza Murano, coordenadora da Reabilitação Pulmonar.

O Projeto Caminhada no Bosque foi criado para possibilitar que esses pacientes possam continuar as atividades físicas. Teve início em 2006 e atualmente atende a 70 pessoas. O grupo pratica uma série de exercícios, acompanhado por fisioterapeutas e educadores físicos da Universidade de Fortaleza, que tem parceria com o Hospital de Messejana. Os participantes também tem apoio da equipe multidisciplinar do hospital. “Entre os resultados, além de mais qualidade de vida, eles deixam de buscar o hospital para o internamento, pois conseguem manter o que conquistaram no Programa de Reabilitação Pulmonar”, destaca Maria Tereza.

Entre as pacientes do Projeto Caminhada no Bosque está a aposentada Ana Maria Campos Costa, aposentada de 70 anos que tem fibrose pulmonar. Ela tem conquistado muitos benefícios para a saúde com a participação no projeto. “Antes, eu vivia depressiva, em cima de uma cama. Quando passei a frequentar o bosque que é ao ar livre, senti a respiração melhor. Aprendi exercícios, com a orientação do fisioterapeuta, que me ajudam nos momentos das crises de falta de ar, quando me concentro e consigo respirar através do diafragma. Sem falar no companheirismo das pessoas. Aumentei minha convivência com os amigos e hoje também sou mais feliz”, declara sorrindo a aposentada.

“Nosso trabalho com esses pacientes é pautado na promoção da qualidade de vida e para motivar a independência nas atividades domésticas, visando facilitar o dia a dia deles. Trabalhamos o ganho de flexibilidade, composição corporal, força, resistência muscular, a aptidão respiratória, tudo visando diminuir o processo de envelhecimento”, afirma a educadora física, Carminda Lamboglia, professora de Educação Física da Unifor.

O Programa de Reabilitação Pulmonar tem atualmente 45 pacientes. Desde que foi criado, em 1999, já atendeu 577 pessoas. Para os pacientes com pneumopatias crônicas alcançarem melhor condicionamento cardiorespiratório, o hospital obedece um protocolo onde cada paciente com esse perfil permanece no tratamento de três a quatro meses. Pacientes que estão na fila a espera por um transplante de pulmão são atendidos até a realização da cirurgia. O Projeto Caminhada no Bosque atua para a manutenção dos pacientes da Reabilitação e já atendeu a 392 pessoas.

08.12.2016

Assessoria de Comunicação do Hospital de Messejana
Stella Magalhães
(85) 3101-4092

Expediente imprensa 05dez 2016-01