Ceará alcança meta de cobertura de vacinação antirrábica

13 de dezembro de 2016

O Ceará cumpriu a meta de cobertura da campanha de vacinação contra a raiva, com 81,63% dos 1.244.747 cães vacinados e 1.016.028 doses da vacina antirrábica aplicadas. Foram também imunizados 462.672 gatos. Ao todo, 127 municípios já cumpriram a meta de cobertura. Os demais 57 municípios que aparecem no sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI) com cobertura abaixo de 80% devem continuar a vacinar ou, se estão vacinando, alimentar o sistema.

 

Em 2015, a cobertura vacinal no Ceará superou a estimativa da população de cães no Estado e ficou em 101,89%, com a imunização de 1.140.728 animais. Também foram imunizados 517.473 gatos. A vacinação é a única forma de evitar que animais domésticos contraiam raiva e transmitam a doença para humanos.

 

A raiva é uma doença viral que pode ser transmitida ao homem por mordida, lambida ou arranhão de um animal infectado. A taxa de letalidade entre humanos é próxima de 100%. Em média, ocorrem 30 mil agressões de animais a humanos a cada ano, 2,5 mil por mês e 94 por dia. Além da vacinação dos animais domésticos, as secretarias de saúde dos municípios devem ser acionadas para capturar os animais de rua que podem portar a doença. Nas cidades, a presença de morcegos deve ser notificada aos departamentos de zoonoses. De janeiro a setembro deste ano, o diagnóstico laboratorial de 39 casos de raiva animal identificou 32 casos em animais silvestres – 28 em morcegos em área urbana, três em raposas e um em soim – que podem infectar animais domésticos, como cães e gatos.

 

O Brasil vem desde 1990 reduzindo, significativamente, o número de casos de raiva humana transmitidas por cães e gatos, resultado, entre outras ações, do sucesso das campanhas de vacinação antirrábica animal. O país está próximo à eliminação da doença causada por vírus canino. Os casos recentes que vem ocorrendo são em sua maioria devido a agressões por animais silvestres, incluindo morcegos, ou por animais domésticos que tiveram contato com animais silvestres infectados com a raiva. Em 2015, foram registrados dois casos de raiva em humanos em todo o país, um em Mato Grosso do Sul e outro na Paraíba. Neste ano, houve um caso registrado em Roraima e outro no Ceará, transmitida por morcego.

 

13.12.2016

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel  (85) 3101.5221 / 3101.5220
www.facebook.com/SaudeCeara

 

Expediente imprensa 05dez 2016-01