Transplantados de pulmão se reúnem para celebrar vida nova

15 de dezembro de 2016

Nesta sexta-feira (16), às 8h30, a equipe de transplante de pulmão do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, da rede pública do Governo do cEARÁ, se reúne com os pacientes e familiares para celebrar as conquistas de 2016 e também sensibilizar o público para a importância do ato de doar órgãos.

Entre os cinco pacientes que foram transplantados neste ano, está o professor de matemática José Benjamin da Cunha, de 48 anos, do município de Solonópole. “É uma vida tão diferente, que não dá para explicar. A gente só valoriza a saúde quando perde”, comenta Benjamim, que antes da cirurgia era dependente de oxigênio as 24 horas do dia, já não conseguia fazer as mais simples atividades cotidianas, como amarrar os cadarços do sapato, por conta do cansaço, conversava por curtos períodos e já não se deslocava para alguns locais. As limitações da doença também afastaram o professor das salas de aula.

José Benjamin sofria de bronquiectasia e da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Descobriu que estava doente em 2005. Em novembro de 2015 foi indicado ao transplante e no dia 28 de outubro deste ano recebeu a doação de dois pulmões. A recuperação correu bem e hoje ele desfruta de uma vida diferente. “O cansaço foi embora, agora respiro bem, converso sem cansar. Estou cumprindo as orientações médicas, pois tenho muitos sonhos para realizar. Quero adotar um filho, voltar a trabalhar e fazer trabalhos sociais junto aos jovens de Solonópole, minha cidade natal”, declara entusiasmado.

O coordenador da equipe, o cirurgião torácico Antero Gomes Neto, informou que seis pacientes ainda permanecem na fila à espera de um transplante de pulmão e falou um pouco sobre o ato de doar. “O transplante de órgão é desafiador pela complexidade do procedimento. As pessoas que entram em uma lista de espera por um órgão já esgotaram todas as outras modalidades de tratamento e lhes resta como última e única chance de resgatar a saúde e de ter nova vida, o transplante. Na hora da doação, é importante que as pessoas reflitam e compreendam que embora estejam perdendo um ente querido, estão tendo uma oportunidade ímpar de dar a vida ao próximo, ao doar os órgãos de um familiar”, fala Antero.

Transplante pulmonar

O Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes é o único centro médico das regiões Norte e Nordeste do país a realizar o transplante de pulmão. O serviço teve início em 14 de junho de 2011, e conta com o profissionalismo de uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões torácicos, pneumologistas, anestesista, enfermeiras, fisioterapeutas, assistente social, psicóloga, nutricionista, dentista e terapeuta ocupacional. A primeira cirurgia foi um grande marco para o atendimento dos pacientes com graves problemas respiratórios das referidas regiões, que antes, não tinham alternativa de tratamento, apenas se fossem a São Paulo.

14.12.2016

Foto: Assessoria de Comunicação do HM

Assessoria de Comunicação do Hospital de Messejana
Stella Magalhães
(85) 3101-4092

Expediente imprensa 05dez 2016-01