Central de Material e Esterilização otimiza serviços e garante segurança aos pacientes

11 de Janeiro de 2017

Com cerca de 410 cirurgias realizadas, por mês, no Hospital Geral Dr. César Cals, da rede pública do Governo do Ceará, além de outros procedimentos, existe toda uma preparação para utilização do material cirúrgico, assistencial e de diagnóstico. Dessa forma, é necessário na estrutura hospitalar a existência de um Centro de Material e Esterilização (CME) equipado e voltado para fornecer, de maneira ampla e segura, todos os materiais essenciais para a realização de cirurgias, exames, curativos, entre outros.

O Ministério da Saúde define que a Central de Material e Esterilização é constituída pelo “conjunto de elementos destinado à recepção e expurgo, preparo e esterilização, guarda e distribuição do material para as unidades nos estabelecimento de saúde”. É ainda responsável pelo processamento de todos os materiais utilizados na assistência à saúde, desde a limpeza, inspeção e seleção quanto à integridade, à funcionalidade e o acondicionamento em embalagens adequadas, até a distribuição desses produtos esterilizados às unidades. Com isso, tem-se a possibilidade de execução plena dos procedimentos com total segurança para o paciente.

Para ter uma ideia, no Hospital César Cals, por mês, a produção do CME conta com a preparação de 8242 itens de rouparia, 27150 itens esterilizados na autoclave sob pressão, 125 ciclos de materiais esterilizados na autoclave gravitacional e 2339 itens de material que passam por desinfecção de alto nível. Tudo feito para proporcionar maior qualidade e preparação adequada para os instrumentais e matérias utilizados em vários procedimentos em todos as unidades do hospital, como centro cirúrgico, centro obstétrico ambulatórios, enfermarias, unidades de terapia intensiva, banco de leite e lactário.

Conforme explica Alzira Ferro, coordenadora do CME, a centralização para a esterilização dos materiais favorece todo o processo para permitir a realização dos procedimentos em tem hábil, com otimização do serviço e manutenção da qualidade. “A centralização melhora o fluxo de material, os custos, permite maior controle, qualidade dos serviços realizados, controle dos insumos, teste e manutenção dos materiais, bem como o armazenamento, garantindo a otimização do serviço”, ressalta.

Desde os anos 80, segundo explica a coordenadora, a importância dos CMEs é ressaltada tanto do ponto de vista técnico e administrativo, como econômico, dada a importância das atividades executadas em um ambiente com estrutura organizacional adequada. É dessa maneira que o Hospital Geral Dr. César Cals busca atuar para permitir à população serviços de qualidade e com segurança aos pacientes, em consonância com as diretrizes da Agência nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde.

11.01.2017

Fotos: Assessoria de Comunicação do HGCC

Assessoria de Comunicação do HGCC
Wescley Jorge
ascom@hgcc.ce.gov.br / 85 3101.5323
Facebook.com/HospitalGeralCesarCals
Twitter: @Hosp_CesarCals

Expediente imprensa 05dez 2016-01