Políticas sobre Drogas: cresce atendimento no CRD, em Fortaleza

12 de Janeiro de 2017

Conhecimento da existência do equipamento gera elevação da demanda

A dona de casa A.L.S. deixou o município de Pacajus, a cerca de 50 quilômetros de Fortaleza, nesta quinta-feira, 12. Na companhia do filho, o estudante E.L.O, de 18 anos, ela viajou até a capital para buscar informações e o apoio indispensáveis para o jovem se livrar das drogas. Informada sobre a existência do Centro de Referência sobre Drogas (CRD) da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD), dirigiu-se até o equipamento, onde foi acolhida e recebeu as orientações e o encaminhamento necessários para o rapaz iniciar o tratamento da dependência química.

“Meu filho sofre com a dependência de maconha e cocaína há quatro anos. Já tentou se livrar sozinho, mas não conseguiu. Estava afastado de mim, mas me procurou e pediu socorro. Me disse que percebeu que a droga está acabando com a sua vida. Eu lhe dei todo o meu apoio. Soube da existência da Secretaria e vim de Pacajus direto pra lá, onde recebi as informações e o encaminhamento que precisava. Agora, com esse apoio profissional, a força de vontade e o meu amor, meu filho vai sair dessa”, acredita A.L.S.

A dona de casa não tem qualquer renda mensal e enfatiza que não teria condições de bancar o tratamento do filho por conta própria. Assim, ressalta a importância do apoio governamental, através da SPD. “Estou confiante na recuperação do meu filho. Ele quer muito se livrar da dependência e sem o apoio do governo do Estado, nossa família não saberia o que fazer. Essa secretaria foi de grande ajuda pra mim”, aponta A.L.S, que afirma ter dificuldades para lidar com o vício do filho e, até então, nem sabia como fazer para livrá-lo dessa situação.

A.L.S. conta que quase perdeu um outro filho para as drogas. “Hoje, ele está recuperado. Mas, agora, a nossa família se vê diante da situação do E.L. Isso é muito difícil. Daí, a importância da gente contar com o apoio do governo. Os custos do tratamento são elevados. Pessoas humildes, como a gente, não têm condições de suportar essa despesa, além de precisar de orientação constante. Aqui, na SPD, eu encontrei tudo isso”, destaca. A dona de casa agradece ao Estado por oferecer assistência adequada a pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas. “Têm aumentado muito o número de pessoas com dependência. Elas e as famílias, como a minha, precisam de apoio, de acolhimento, de orientação”, avalia, destacando que a ajuda especializada é fundamental e o Governo do Estado está proporcionando isso, através da SPD.

Tem se mantido crescente o número de famílias que procuram o CRD para obter ajuda especializada para lidar com a questão das drogas. Não é comum a presença no equipamento de famílias que não sabem como agir e reagir à presença das drogas e perdem o controle junto com o usuário. São pessoas que, diante do atendimento oferecido, se sentem acolhidas frente ao quadro de abatimento, debilidade emocional e física, esgotadas em suas emoções e até em suas finanças por causa da dependência de um ente querido.

No CRD, dependentes químicos e seus familiares são acolhidos e orientados sobre prevenção, tratamento e reinserção social e profissional. O atendimento é gratuito, não sendo necessário agendamento. O equipamento funciona no andar térreo da sede da SPD. Atualmente, são realizados mais de 450 atendimentos presenciais/mês.

A coordenadora do CRD, Magda Coelho, explica que o primeiro procedimento é a identificação biométrica do usuário, que, em seguida, é encaminhado para atendimento por parte de um psicólogo ou enfermeiro. A partir da identificação do perfil do usuário, é feito o encaminhamento para um dos equipamentos que integram a Rede de Atenção Psicossocial (Raps), a Rede Sistema Único de Assistência Social (Suas) ou a rede de apoio. O usuário também pode ser encaminhado para acolhimento em uma comunidade terapêutica (CTs), instituições que atuam na forma de prestação de serviços e compõem o Sistema Acolhe Ceará.

Magda Coelho enfatiza que a dependência química é uma doença grave, crônica e progressiva. Em muitos casos, apresenta-se como um inimigo silencioso dentro de casa e a família só percebe sua presença quando já dominou o território. Ela reforça que tem crescido o número de famílias que buscam acolhimento no CRD.

Além do atendimento presencial no CRD, o público também pode obter informações/orientações profissionais sobre drogas através do telefone 0800.2751475. Outra opção disponibilizada ao público pela SPD é o atendimento através de uma unidade móvel, que leva os serviços do CRD para as diversas localidades cearenses.

Serviço:

Centro de Referência sobre Drogas (CRD) da SPD
Endereço: Rua Oto de Alencar, 193, bairro Jacarecanga (defronte à praça do Colégio Liceu do Ceará)
Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas
Teleatendimento: 0800.2751475

12.01.2017

Fernando Brito
Repórter

Daniela Negreiros
Assessora de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)
(85) 3238.5090 / 98902.7939 – comunicacao@spd.ce.gov.br / daniela.negreiros@spd.ce.gov.br

www.spd.ce.gov.br
Facebook: spdceara
Twitter: @spdceara

Expediente imprensa 05dez 2016-01