Comitê realiza oficina de capacitação para combate ao mosquito

20 de Janeiro de 2017

Na segunda-feira (23), o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika realizará a Oficina de Formação de Multiplicadores para o Enfrentamento ao Aedes aegypti, das 8 às 13 horas, na Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado. A oficina é para atualização e capacitação de profissionais das instituições integrantes do Comitê para serem agentes multiplicadores no combate ao mosquito.

“A ideia é intensificar as ações de disseminação dos conhecimentos teórico-práticos sobre o controle do Aedes aegypti nas instituições públicas e privadas. Essa primeira etapa é para formar agentes multiplicadores para trabalharem em conjunto com os brigadistas das instituições”, diz o coordenador do Comitê, Caio Cavalcante.

Na oficina, haverá palestras educativas e atividades práticas e também serão apresentadas as ações de prevenção e controle do mosquito promovidas pelo Governo do Estado, além do plano estratégico para mobilizações de combate ao Aedes aegypti este ano.

Ações de mobilização

O Governo do Ceará realiza mobilização permanente no combate ao mosquito Aedes aegypti. Diversas ações foram implantadas, entre elas a criação do Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Zika e Chikungunya, em 2015, pelo governador Camilo Santana. O Ceará foi pioneiro na criação de brigadas estaduais contra o mosquito em prédios públicos com vistoria a cada sete dias.

Para este ano, estão programadas diversas ações com representantes governamentais e da sociedade civil para ampliar o engajamento no combate ao mosquito. Além da formação de agentes multiplicadores, há também a capacitação das brigadas dos órgãos estaduais e de outras instituições (públicas e privadas), capacitação de 240 militares das Forças Armadas para atuar nas escolas estaduais e municipais, capacitações e formações em vigilância, prevenção, controle e assistência às arboviroses (doenças causadas por vírus transmitidos por artrópodes como o mosquito Aedes aegypti).

Todos contra o mosquito

É preciso redobrar os cuidados e não deixar o mosquito nascer. Manter a caixa d’água limpa, vedada e bem tampada, não acumular entulhos na rua, limpar as calhas, colocar lixo em sacos e tampar e vedar todo e qualquer recipiente que pode acumular água, como potes, pneus e barris, são algumas das principais ações para evitar focos do Aedes aegypti.

A mobilização e participação da população é de fundamental importância na prevenção e controle do Aedes aegypti. Os municípios são responsáveis pelo planejamento e pelas ações de combate ao mosquito, como por exemplo, as visitas de casa em casa, feita pelos agentes de endemias, e a pulverização de inseticidas. Mas cada cidadão também é corresponsável e precisa fazer vistorias periódicas em seus imóveis para evitar focos do mosquito.

Em 2016, o Ceará teve 37.731 casos confirmados de dengue, com 233 graves e 30 óbitos; 29.738 casos confirmados de chikungunya, com 19 óbitos, e 2.112 casos de zika, 92 deles em gestantes.

Serviço:

Oficina de Formação de Multiplicadores para o Enfrentamento ao Aedes aegypti

Dia: 23 de janeiro de 2017
Horário: 8 às 13 horas
Local: Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará – Av: Antonio Justa, 3161, Meireles

20.01.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim / Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 05dez 2016-01