Ceará realiza primeiro transplante cardíaco de 2017

23 de Janeiro de 2017

 


Um novo coração, uma nova vida. O piauiense José Cardoso de Morais, 60, recebeu um novo órgão na última sexta-feira, 20, no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, da rede pública do Governo do Estado. A cirurgia do Seu Cardoso foi o primeiro transplante cardíaco realizado no Ceará este ano. Até esta segunda-feira, 23, foram realizados 59 transplantes de órgãos e tecidos no Estado. Além do coração, houve quatro de rim, 42 de córneas e 12 de fígado que, em menos de 30 dias, já igualou o total de transplantes de fígado registrado em janeiro de 2016.

Seu Cardoso foi chamado para a cirurgia a poucos dias de completar três meses de espera pelo órgão. O motorista e a esposa, chegaram a Fortaleza, vindos de Teresina, Piauí, no dia 21 de agosto de 2016. Dois meses depois, no dia 28 de outubro, Seu Cardoso entrou na fila de espera dos transplantes. “Estávamos sempre na expectativa. Foi por desistência ou porque o órgão não dava certo que a espera continuou. Após 10 tentativas foi que deu certo um coração para o transplante”, diz Francisca Santos Morais, 61, esposa do transplantado.

De acordo com Francisca, foi em 2010 que os primeiros sintomas da miocardiopatia idiopática surgiram. Seu Cardoso descobriu que tinha coração crescido quando teve a primeira crise e foi internado em outubro daquele ano. “Três anos depois ficou mais grave. Em julho de 2016, o médico disse que ele precisaria de um transplante”, fala Francisca. No último dia 20, uma nova história começou para Seu Cardoso e a família dele. Com o quadro clínico estável, ele tem se recuperado bem da cirurgia e comemorado à distância com amigos e familiares essa conquista. “São três filhos, uma enteada, cinco netos e dois bisnetos. Está todo mundo muito ansioso, família e amigos esperando por ele. Estou feliz. O que tenho é agradecer à família que fez a doação”, reconhece.

alt
2016: mais um recorde de transplantes

Em 2016, o Ceará superou o recorde registrado em 2015: foram realizados 1.864 transplantes de órgãos e tecidos no Estado, 431 a mais que no ano anterior, quando foram registrados 1.433 transplantes. Os destaques em 2016 foram os transplantes de córnea, coração e medula óssea, os maiores da história. O número de transplantes de córnea foi 1.260 ante 831 do recorde anterior, registrado em 2015. Os 97 transplantes de medula óssea superaram os 80 de 2015. Os transplantes cardíacos em 2016 também foram 32, quando no ano anterior foram 24. Ainda no ano passado, o Ceará registrou 195 transplantes de fígado, 255 de rim e seis de pulmão.

23.01.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara


Expediente imprensa 05dez 2016-01