Oficina capacita multiplicadores no combate ao Aedes aegypti

24 de Janeiro de 2017

O Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika e a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa) realizaram nesta segunda-feira (23), a Oficina de Formação de Multiplicadores para o Enfrentamento ao Aedes aegypti, na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE).

As instituições que compõem o Comitê indicaram representantes para participar da oficina e serem multiplicadores no controle do mosquito Aedes aegypti. “Os agentes multiplicadores são funcionários/ servidores das instituições integrantes e parceiras do comitê, que após serem capacitados realizarão atividades educativas e de disseminação de informações em suas instituições, junto aos parceiros do setor privado e da sociedade civil, bem como apoiarão o trabalho das brigadas na eliminação de criadouros e focos do mosquito”, comentou Caio Cavalcanti, coordenador do Comitê Gestor de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika.

Os 30 participantes receberam informações sobre as formas de combate ao mosquito, as doenças transmitidas por ele, entenderam melhor a atuação do comitê e foram orientados sobre a formação de brigadas e de como realizar vistoria nas instituições. “Hoje nós tivemos o prazer de ter nossa primeira oficina para multiplicadores do enfrentamento ao Aedes aegypti. Nós esperamos que esses profissionais atuem nas suas instituições em conjunto com o membro do comitê e com os brigadistas. É uma força a mais, uma equipe completa, praticamente, para atuar no enfrentamento ao mosquito através de ações simples na instituição, pelas pessoas que ali trabalham e disseminando essas informações entre os brigadistas e pessoas que frequentam o prédio”, disse Richristi Gonçalves, bióloga do Núcleo de Controle de Vetores (Nuvet) da Secretaria da Saúde.

Capacitação permanente

Outras oficinas para formar multiplicadores no combate ao mosquito estão em fase de planejamento. “A ideia é que esta seja a primeira e que nós possamos realizar novas oficinas para formar agentes multiplicadores também na sociedade, que possam estar difundindo essas informações e esses conhecimentos junto à população”, ressaltou Caio Cavalcanti.

Ana Cecília Freitas, técnica pedagógica da Coordenadoria de Desenvolvimento da Aprendizagem (Codea) da Célula de Diversidade e Inclusão Educacional/ Educação Ambiental da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), foi indicada para participar da oficina e ser multiplicadora nessa ação de combate ao mosquito. “Toda ação que envolve aprendizado, multiplicação de conhecimento, sensibilização de qualquer comunidade, seja no trabalho ou em sua residência é de suma importância. Quando se trata do controle do mosquito Aedes aegypti, o mais efetivo é o controle mecânico, que é cada cidadão tomar as medidas preventivas para evitar a proliferação desse mosquito. Acho extremamente válida a iniciativa da oficina, pois quanto mais pessoas conseguirmos recrutar e sensibilizar maior e melhor serão os resultados. Não tem como ficar esperando pelos outros, nós temos que assumir o controle no combate ao mosquito e ser o protagonista nesta ação”, disse Ana Cecília.

Todos os participantes da oficina receberam uma bolsa contendo blusa, adesivos, boné, panfletos e um CD com uma apresentação sobre o mosquito e suas formas de combate, vídeos institucionais sobre as três doenças: dengue, zika e chikungunya e documentários sobre a microcefalia, para disseminarem essas informações em suas instituições e com a sociedade civil.

24.01.2017

Radene Fortaleza
Jornalista do Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika

Expediente imprensa 05dez 2016-01