SPD promove ampla discussão sobre a problemática das drogas

25 de Janeiro de 2017

“A roda de conversa sobre drogas foi, na verdade, um amplo e democrático encontro entre as várias correntes de pensamento, muitas delas antagônicas, sobre a questão das drogas no Brasil e, em especial, no Ceará, com o objetivo de juntarmos esforços para superar os desafios dessa problemática. Apresentando e conhecendo experiências, podemos construir consensos”. A avaliação foi feita pelo secretário Especial de Políticas sobre Drogas, Marcelo Uchôa, ao término da roda de conversa sobre drogas promovida pela SPD, na manhã desta quarta-feira, 25, na sede da pasta.

A programação contou com a participação da presidente da União Nacional dos Estudantes (Une), Carina Vitral; o médico psiquiatra e redutor de danos, Rafael Baquit, representante da Associação Brasileira de Redutores de Danos (Aborda) e Rede Cearense de Redução de Danos; da coordenadora Especial de Políticas Públicas para as Mulheres, Camila Silveira; e do representante estadual do Levante Popular da Juventude, Rogério Chaves (Babau). O secretário Marcelo Uchôa foi o mediador. Para ele, a realização da roda de conversa reforça a postura da SPD de defesa à pluralidade de posicionamentos e multiplicidade de argumentos sobre o tema ‘drogas’.

Após a abertura do evento pelo secretário Marcelo Uchôa, a presidente da Une, Carina Vitral, disse da sua preocupação com a proliferação das drogas na comunidade estudantil. Ela propôs o fim da visão elitista sobre o tema e “um mergulho na realidade concreta” das drogas em todos os cantos da sociedade. Em seguida, o médico psiquiatra e redutor de danos, Rafael Baquit, abordou a redução de danos, estratégia de saúde pública que o especialista considera um novo paradigma ético, clínico e político para a política pública brasileira de saúde de álcool e outras drogas que implicou num processo de enfrentamento e embates com as políticas antidrogas.

Baquit defendeu a redução de danos para abordagem a pessoas com problemas relacionados ao uso de álocol e outras drogas e criticou a visão das drogas sobre os eixos moralista, criminal e sanitário. Ele explicou que as intervenções da RD têm por objetivo reduzir ou prevenir consequências negativas à saúde associadas ao consumo de álcool e outras drogas, sem necessariamente interromper o uso, buscando a inclusão social e a promoção da cidadania das pessoas que usam drogas. Seu princípio fundamental baseia-se no respeito à liberdade de escolha e em estratégias que contribuam para a melhoria das condições de vida dos toxicodependentes. A RD reconhece a abstinência como resultado ideal, mas aceita alternativas que reduzam os danos. Suas medidas envolvem alertar para os efeitos, riscos e danos potencialmente nocivos; a utilização do mínimo possível e fracionado da substância e outras.

A coordenadora Especial de Políticas Públicas para as Mulheres, Camila Silveira, abordou a questão da violência contra as mulheres. Segundo ela, a grande maioria dos casos é de violência doméstica e tem relação direta com o consumo de álcool e outras drogas por parte dos companheiros. O representante estadual do Levante Popular da Juventude, Rogério Chaves (Babau), defendeu a reforma urbana, com a oferta de alternativas de trabalho, lazer e educação para a juventude, sobretudo a que reside na periferia das grandes cidades, para reverter os números crescentes de consumo de drogas.

A roda de conversa envolveu ainda uma série de depoimentos sobre o enfrentamento da dependência química e a apresentação de experiências por parte de diversos atores envolvidos com a problemática das drogas, incluindo abordagens favoráveis e contrárias às diversas formas de tratamento oferecidas aos usuários e de acolhimento das famílias dos dependentes.

Após cerca de quatro horas de discussões, o secretário Marcelo Uchôa concluiu a roda de conversa, aproveitando para ressaltar a participação significativa de representantes de movimentos sociais de políticas sobre drogas, movimentos estudantis e movimentos de juventude, o que demonstra o interesse na discussão do tema ‘drogas’, problemática que a sociedade moderna tem vivenciado de forma contundente. O titular da SPD destacou o trabalho desenvolvido pela pasta, embora com pouco mais de dois anos de existência; e aproveitou para formular convite ao público presente para participação no I Seminário Estadual de Políticas sobre Drogas, programado para o próximo dia 17 de fevereiro, em Fortaleza.

25.01.2017

Fernando Brito
Repórter

Daniela Negreiros
Assessora de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)
(85) 3238.5090 / 98902.7939 – comunicacao@spd.ce.gov.br / daniela.negreiros@spd.ce.gov.br

www.spd.ce.gov.br
Facebook: spdceara
Twitter: @spdceara

Expediente imprensa 05dez 2016-01