Iluminação especial na Sesa lembra luta contra hanseníase

27 de Janeiro de 2017

Até o fim deste mês, quem passa em frente a Secretaria da Saúde do Estado pode ver uma nova cor iluminando a fachada. Como parte do cronograma da programação do Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, a Sesa está realizando diferentes ações e uma delas é a iluminação em roxo na fachada da entrada principal. A mobilização iniciou no último dia 19 e segue até o dia 29 de janeiro.

As ações são para alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da hanseníase para o tratamento e cura da doença. Até o próximo domingo, quando será comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, haverá oficinas, conferências, palestras, rodas de conversa e ações de sensibilização em escolas, praças e shopping centers, em Fortaleza e outros municípios.

Ainda nesta semana, estão também programadas ações de sensibilização sobre hanseníase com os usuários das centrais do Vapt-Vupt Antônio Bezerra e Messejana, das 8 às 12 horas. No dia 26, será no Vapt Vupt Antônio Bezerra e no dia 27, no Vapt Vupt Messejana. Em parceria com a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado, a Sesa garante atendimento de imunização aos usuários através do núcleo de saúde no Vapt Vupt, que começou a funcionar em setembro de 2016, na central de Messejana, e em novembro do mesmo ano, no Antônio Bezerra. Na sala de vacinação estão disponíveis todas as vacinas do calendário de rotina de imunização, para crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Hanseníase tem cura

banner hanseniase 2017A hanseníase é uma doença infecciosa de evolução lenta e se manifesta por meio de lesões cutâneas ou neurais. Os principais sintomas são lesão ou área de pele com alteração de sensibilidade, orelhas infiltradas, nariz infiltrado e entupido (sem secreção nasal), mãos e pés “inchados e dormentes”, caroços nos cotovelos ou no corpo, sobrancelhas infiltradas e com queda de pelos, dores ou choques em nervos dos braços e pernas.

O diagnóstico da hanseníase é feito na atenção primária e envolve a avaliação clínica do paciente, com aplicação de testes de sensibilidade, palpação de nervos, avaliação da força motora etc. O exame laboratorial identifica se a hanseníase é paucibacilar, com pouco ou nenhum bacilo, ou multibacilar, com muitos bacilos. A hanseníase é uma doença totalmente curável, e não há motivo para preconceito. É importante ficar atento aos sinais e procurar a atenção primária e então, o paciente será encaminhado para o tratamento em uma unidade de referência.

Na rede pública estadual, há o Centro de Dermatologia Sanitária Dona Libânia que é referência em atendimento a pacientes com hanseníase. O Dona Libânia fica na Rua Pedro I, 1033, Centro, e atende de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 horas. Para pacientes com hanseníase, a demanda é espontânea, ou seja, a primeira consulta não precisa de encaminhamento.

Casos no Ceará

De acordo com a planilha de atualização semanal das doenças compulsórias, referente à semana epidemiológica 03, o Ceará tem seis casos de hanseníase notificados neste ano. Em 2016, foram notificados 1.538 novos casos de hanseníase no Ceará, sendo 87 em menores de 15 anos e 697 (45,3%) nos seis municípios prioritários: Fortaleza, Crato, Icó, Iguatu, Juazeiro do Norte e Sobral, com taxa de detecção de 17,27 por 100 mil habitantes. A hanseníase é uma doença de notificação compulsória em todo o território nacional e de investigação obrigatória.

27.01.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 05dez 2016-01