Maratona de Robótica da Secitece atrai jovens durante 10ª Bienal da UNE

31 de Janeiro de 2017

O stand da Secitece na 10ª Bienal da UNE ficou lotado de jovens para participar da Maratona de Robótica. Durante toda essa segunda-feira (30), eles criaram robôs e aprenderam mais sobre mecatrônica.

 

Para Henrique Araújo, aluno da Escola Estadual de Educação Profissional Juarez Távora, a maratona é uma proposta interessante. “Está integrando e ensinando pessoas que têm ou não conhecimento na área”, diz.

 

Na atividade, os jovens aprenderam os princípios básicos da construção de robôs a partir de um tutorial dado pelos instrutores. Foram 20 vagas preenchidas por ordem de inscrição, mas Bárbara Joana, universitária da cidade de Exú/PE, por pouco deixou escapar a oportunidade. “Fiquei sabendo do evento pelo facebook da Bienal, mas confundi as datas. Ainda bem que vi o stand a tempo de me inscrever!”.

 

A atividade reuniu estudantes de diversas áreas por meio do estímulo ao conhecimento tecnológico. Em duplas, os participantes construíram robôs seguidores de linha, que andam por um caminho pré-definido. Houve premiação para quem realizou o percurso de forma satisfatória e com o melhor protótipo.

 

O instrutor da atividade Lessânio Oliveira, também professor dos cursos de Robótica da Universidade do Trabalho Digital (UTD), enfatiza que essa cultura digital precisa ser mais disseminada no Estado.

 

“Geralmente as pessoas têm mais conhecimento em especificações de TVs, celulares e eletrodomésticos, mas é preciso desmistificar a mecatrônica como um todo. Há esse interesse e é algo prazeroso para os jovens, o que falta mesmo é oportunidade. Vejo a iniciativa da Secitece como super positiva!”

 

O stand da Secitece na Bienal da UNE está localizado na área de convivência do evento, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Robôs do Centauro

 

Na terça-feira (31), é a vez da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec), por meio do Centauro, estar no stand da Secitece. Haverá uma exposição de robôs, como drones que realizam mapeamento por GPS, serviços de vigilância e apoio na identificação de focos da dengue; robô móvel controlado via celular ou computador com sensor de obstáculos e braço mecânico; e um “humanóide”, com sistema para identificação de pessoas. Estará no local fazendo as simulações o gerente do Centauro, Renato Cândido Zimmermann.

 

31.01.2017