Serviço do Centro de Saúde Meireles garante atendimento a ostomizados

2 de Fevereiro de 2017

“Liberdade”, declara Francisco Aureliano da Costa Ferreira, 53, ao descrever como se sente por não precisar mais usar a bolsa coletora. Nesta quarta-feira (1º), Francisco Aureliano recebeu alta do Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada. O programa foi implantado há um ano no Centro de Saúde Meireles, pela Secretaria da Saúde do Estado, em parceria com a Secretaria de Saúde de Fortaleza.

Diagnosticado há dois anos com câncer no cólon, Francisco Aureliano fez a cirurgia para retirada do tumor no intestino e teve que ser colostomizado. “Já sabia que ia usar a bolsa. Mesmo assim, quando acordei e vi a bolsa do lado, fiquei triste e com medo de usar pra sempre”, desabafa. No Programa de Atenção à Pessoa Ostomizada, Aureliano foi acompanhado pela equipe multiprofissional do Centro de Saúde Meireles, que inclui médico proctologista, enfermeira, nutricionista, assistente social e psicólogo.

Foram oito meses usando a bolsa coletora. Segundo Aureliano, não foi fácil se adaptar à condição de colostomizado. Foi com o apoio e a orientação dos profissionais do programa de ostomizados no Centro de Saúde Meireles, que ele conseguiu lidar com as limitações e conquistar a recuperação. “Tive muita dificuldade de me adaptar à bolsa, incomodava muito, não gostava nem um pouco. Era ruim para tomar banho, só quem sabe é quem passa por isso”, e completa: “agora me sinto bem, graças a Deus. A esperança de um paciente que passa por isso é a cura definitiva. O serviço funcionou muito bem, como se fosse particular. Não tem diferença”.

Francisco Aureliano fez a cirurgia de reversão da ostomia no último dia 12. Agora promete a si mesmo que vai manter a qualidade de vida que adquiriu durante o tratamento, cuidando da alimentação e fazendo atividades físicas. “Eu bebia muito, agora não bebo mais. Vou fazer caminhada, manter o peso estável com a dieta e tocar a vida pra frente, buscar cada vez mais saúde”, enfatiza.

Atendimento

O Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada funciona no Centro de Saúde Meireles, que fica na Av. Antônio Justa, 3113, e o serviço de atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 16 horas. Atualmente, o programa tem 2.309 pacientes cadastrados. Destes, 91 ingressaram no último mês, até o dia 27 de janeiro de 2017.

banner ostomizado csm 011A mãe de Ana Lourdes Vieira Avelino, 51, é uma das mais novas pacientes que ingressaram no programa. Na tarde desta quarta-feira, 1º, Ana Lourdes foi até o Centro de Saúde Meireles para efetivar o cadastro da mãe Francisca das Chagas Vieira, 76, e receber as bolsas coletoras. Dona Francisca foi diagnosticada há dois anos com câncer no reto e após cirurgia no último dia 23, ela passou a usar a bolsa coletora. “O atendimento no Centro de Saúde Meireles foi ótimo. Fui bem esclarecida, porque eu estava em pânico sobre como limpar, cuidar”, fala Ana Lourdes.

Ela recebeu orientações para uso e higienização, como ajudar a mãe. Com o atendimento, Ana Lourdes sente-se mais tranquila e segura para dar o suporte necessário à dona Francisca. “Quando chegou a bolsa, pensei ‘meu Deus, como fazer isso?’. É uma coisa estranha ver sua mãe normal e de repente com uma bolsa do lado. Agora estou tranquilizada e vou tranquilizá-la também”, diz.

Em 2016, foram atendidos 12.308 ostomizados no Centro de Saúde Meireles e entregues 143.148 bolsas coletoras. Neste ano, já foram realizados 1.232 atendimentos e 14.459 bolsas entregues até 27 de janeiro. “A gente conseguiu manter o serviço de ostomizados de forma a garantir o fornecimento das bolsas coletoras e dos acessórios (material para prevenção de dermatites), através do uso racional, orientando os pacientes como saber usar adequadamente os equipamentos”, afirma a coordenadora do Programa de Atenção à Pessoa Ostomizada, Yara Lanne Santiago.

O programa de atendimento aos ostomizados da Sesa assegura o fornecimento das bolsas coletoras, a consulta e o acompanhamento pela equipe multiprofissional e especializada, além de garantir as cirurgias para reversão da ostomia. No ano passado, ocorreram 86 altas por reversão e neste ano, até 27 de janeiro, foram 14. “O que trouxe um grande benefício para os pacientes foram as cirurgias de reversão. O programa criou um fluxo próprio para essas cirurgias”, ressalta Yara Santiago.

Após avaliação médica, os pacientes com condições de reversão da ostomia são encaminhados, através da Central de Regulação, a cirurgias para fechamento da colostomia em um hospital da rede de saúde pública do Governo do Estado. No Centro de Saúde Meireles, além da consulta e do fornecimento de bolsas coletoras e acessórios, há exames laboratoriais e de ultrassom para os ostomizados.

Para agendar a primeira consulta no Programa de Atenção à Pessoa Ostomizada, basta ligar para o Centro de Saúde Meireles, telefone (85) 3486-6274.

banner programa pessoa ostomizada

02.02.2017

Fotos: Assessoria de Comunicação da Sesa

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 05dez 2016-01