Governo do Ceará garante reforço de renda aos servidores que recebem até R$ 5,5 mil

6 de Fevereiro de 2017

O Governo do Ceará garantiu reforço de renda aos servidores públicos que recebem até o teto geral da Previdência Social, que é aproximadamente de R$ 5,5 mil. A mensagem foi aprovada pela Assembleia Legislativa no final de 2016 e já está em vigor.

A informação é do secretário da Casa Civil, Nelson Martins, que confirma ainda que o reforço de renda será escalonado, conforme o reajuste na contribuição da previdência. “Os servidores que recebem até este valor vão receber 1% de aumento em 2017, 1% em 2018 e 1% em 2019 para compensar o aumento da previdência. É um auxílio de reforço de renda”. 

O secretário confirma ainda que atualmente, cerca de 80% dos servidores do Estado do Ceará são remunerados com o teto da Previdência. “É importante destacar que a contribuição do Estado do Ceará para a previdência também vai aumentar, passando de 22% para 24% em 2017, para 26% e para 28% em 2019”, completou. Atualmente, são 63 mil servidores na ativa e mais de 78 mil aposentados ou pensionistas e o aumento, tanto da contribuição dos servidores como da contribuição patronal (do Governo), é para reduzir o déficit da previdência cearense, calculado em aproximadamente R$ 1,3 bilhão.

Encontros

Estão realizando diversos encontros com representantes de servidores públicos para explicar as condições de reajuste que foram anunciadas pelo governador Camilo Santana, durante a visita à Assembleia Legislativa. O secretário da Casa Civil, Nelson Martins, está presidindo as negociações.

Na última sexta-feira (3), uma comissão de servidores foi recebida pelo secretário, que explicou os índices de reajustes deste ano: 6,29% para os servidores que recebem a remuneração mínima e 2% para os demais. “Em 2016 tivemos receitas extras, como a repatriação de recursos, o aumento do imposto de herança e os depósitos judiciais, que não haverá mais este ano. Este reajuste é o limite da responsabilidade fiscal e não adianta o Governo conceder um reajuste sem condição de pagar”.

 

06.02.2017

 

Lúcio Filho
Gestor da Célula de Rádio

Foto: Acervo Casa Civil

 

Expediente imprensa 05dez 2016-01