SAMU 192 Ceará faz atendimento a 52% dos casos de AVC

7 de Fevereiro de 2017

O atendimento rápido e adequado evita que o cérebro sofra maiores danos e representa toda a diferença entre viver ou morrer

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192 Ceará) fez 52% dos atendimentos aos 2.790 casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) ocorridos em 2016 nos 129 municípios da área de cobertura do serviço. No ano passado, a Central de Regulação das Urgências (CRU) de Eusébio fez 1.121 encaminhamentos de pacientes com AVC, 62,3% dos 1.800 casos estimados pelo Comitê Estadual de Atenção ao AVC nos 80 municípios de sua abrangência. Nos 49 municípios da CRU Juazeiro do Norte, o SAMU 192 Ceará fez 325 atendimentos de pacientes com AVC, 32,8% do total de 990 estimados pelo Comitê Estadual.

Nos últimos três anos, o número de atendimentos a casos de AVC pelo SAMU 192 Ceará aumentou em 41,34%, passando de 1.023 em 2014 para 1.114 em 2015 e 1.446 no ano passado. Na CRU Eusébio, o incremento foi de 47% nos atendimentos em relação a 2015. “Houve melhora significativa na performance do SAMU Eusébio”, reconhece o neurologista João José de Carvalho, presidente do Comitê Estadual de Atenção ao AVC. Em outubro do ano passado foi lançado o Protocolo de Atendimento Pré-Hospitalar ao paciente vítima do AVC do SAMU 192 Ceará, no município de Eusébio. Orientado pelo Ministério da Saúde para o SAMU, o protocolo trata da padronização da intervenção e da regulação médica dos casos de AVC, bem como do relatório de atendimento específico do agravo.

Com cerca de 8 mil casos investigados, os primeiros resultados do projeto-piloto do Registro Estadual do AVC mostram que houve melhoria no tempo de chegada de pacientes ao hospital. Quanto mais rápido o paciente for socorrido de forma adequada, maior a possibilidade de prognóstico favorável. No AVC, o atendimento rápido e adequado evita que o cérebro sofra maiores danos e representa toda a diferença entre viver ou morrer. A cada 30 minutos alguém sofre um AVC no Estado e diariamente são feitas 11 internações de pacientes com AVC. Na rede pública estadual, três hospitais fazem atendimento especializado em AVC: Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e o Hospital Waldemar Alcântara, na capital, e o Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte, onde também funciona uma unidade de atenção ao AVC.

A Unidade de AVC do HGF conta com 20 leitos de alta rotatividade. Dois desses leitos são exclusivos para trombólises. Os pacientes são tratados com os melhores recursos a nível mundial, além de serem investigados para que se evite um novo AVC. Por mês, cerca de 240 pessoas chegam à emergência do hospital – 67% dos pacientes que dão entrada são de Fortaleza, desses, 12% são trombolizados e 96% dos casos são AVC’s isquêmicos. O HGF realiza um percentual de trombólises acima dos descritos na literatura médica.

O tempo de atendimento tem melhorado devido ao maior conhecimento das pessoas sobre a doença. As pessoas que têm alguém da família internado no hospital com AVC já recebem orientações sobre como identificar a doença. Além disso, a qualificação da equipe do SAMU tem contribuído para a agilidade dos atendimentos. A Unidade de AVC do HGF foi uma das primeiras unidades de saúde pública do Brasil a ser selecionada para participar do Protocolo Resilient, projeto do Ministério da Saúde para o tratamento avançado de casos graves de AVC isquêmico.

alt
07.02.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

 

Expediente imprensa 05dez 2016-01