Moradores de Quixeré aprovam exploração de mina de calcário

15 de Fevereiro de 2017

A empresa já explora a mesma jazida, no estado vizinho do Rio Grande do Norte, próximo à divisa com o Ceará, e quer expandir a produção

Os moradores de Bonsucesso, na zona rural de Quixeré, no Vale do Jaguaribe, conheceram, nesta terça-feira (14), o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto no Meio Ambiente (EIA-Rima) do projeto de instalar na região a unidade de exploração de calcário Mineração Polimix. O estudo foi apresentado durante uma audiência pública promovida pela empresa interessada, a Fábrica de Cimento Mizu, cumprindo a exigência da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) para o licenciamento prévio do empreendimento.

De acordo com a empresa, os impactos ambientais físicos, biológicos e socioeconômicos estão dentro dos parâmetros legais. “O EIA-Rima vai ser analisado pela Semace, que é órgão ambiental do Estado, e pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente, que dará um parecer, dizendo se aprova ou não”, afirmou a representante da Semace na audiência, a superintendente adjunta da autarquia, Virgínia Carvalho. “A audiência pública é uma etapa importantíssima, na qual a comunidade conhece o projeto”, completou.

A empresa já explora a mesma jazida, no estado vizinho do Rio Grande do Norte, próximo à divisa com o Ceará, e quer expandir a produção. “Como a Mizu segue todas as diretrizes junto ao Idema, órgão ambiental do Rio Grande do Norte, respeitará também os condicionantes apontados pela Semace”, afirmou o geólogo responsável, Igor Gothardo. “O que nosso empreendimento precisa é ter segurança com relação à qualidade e quantidade de material a ser explorado para dar operação segura à fábrica”, ressaltou.

Cerca de 50 famílias vivem em Bonsucesso, a localidade mais próxima da mina. A moradora Vilda Santiago espera que a operacionalização da mina traga benefícios à região. “Eu acho que é o que todo o povo da comunidade espera”, afirmou. Um dos benefícios será a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) a ser paga pela exploradora ao município de Quixeré. Se todos os trâmites correrem como esperado, a previsão da empresa é começar a explração até o início de 2018.

15.02.2017

Alberto Perdigão
Assessoria de Comunicação da Semace
Twitter: @Semace
Facebook: semace.gov

Assessoria de Comunicação – Ascom
Superintendência Estadual do Meio Ambiente – Semace
Governo do Estado do Ceará
(85) 3101-5554

Expediente imprensa 09jan 2017-01