Polos cearenses da Universidade Aberta do Brasil iniciam atividades acadêmicas com aula inaugural

6 de março de 2017 # #

Participaram do evento a vice-governadora Izolda Cela, o secretário Inácio Arruda, além de outras autoridades, estudantes e professores. Houve transmissão simultânea para todas as unidades do Estado

Uma aula inaugural marcou o início do novo ano acadêmico para os polos da Universidade Aberta do Brasil (UAB) sediados no Ceará. Autoridades – entre elas a vice-governadora Izolda Cela e o secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda – além de estudantes, professores e comunidade prestigiaram a solenidade que ocorreu no polo de Maranguape e foi transmitida para todas as unidades do Estado através de webconferência.

Em sua fala, Inácio ressaltou o caráter político do evento. “Essa aula inaugural tem um caráter político de reafirmação de nossas reivindicações. Estamos pleiteando a ampliação da UAB para mais municípios e trabalhando no credenciamento de mais três universidades públicas – Universidade Estadual Vale do Acaraú, Universidade Regional do Cariri e Universidade Federal do Cariri – para ministrarem os cursos”, disse o secretário. Hoje, as aulas já são ministradas pela UFC, Uece, IFCE e pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

Inácio aproveitou para fazer um balanço da iniciativa no Estado e reforçar a ideia de que a educação é o caminho para solucionar os problemas da sociedade. “Não há exército mais forte para combater o crime, a droga e a desigualdade do que a educação”, destacou, reforçando o esforço que tem sido feito pelo Governo do Ceará para o fechamento do ciclo que começa na educação infantil e vai até o ensino superior.

O secretário aproveitou a ida a Maranguape para dialogar com estudantes e saber qual a percepção deles sobre a UAB. “Cheguei cedo aqui [no polo] e conversei com vários alunos. Vi a satisfação em cada um deles por estar cursando o ensino superior! Precisamos, portanto, fortalecer a aliança entre municípios e governos estadual e federal para a ampliação e consolidação dessa iniciativa no Estado”. Inácio entregou nas mãos da vice-governadora, Izolda Cela, uma série de dados da UAB que subsidiará essa análise com vistas à ampliação da oferta no Estado.

Em seu discurso, Izolda reforçou a importância da articulação dos esforços para a consolidação da educação. “A UAB foi uma decisão acertada do governo federal, pois ela vai mais rápido aos locais onde ainda não existe a oferta tradicional de cursos superiores. Ela consegue dar essa brevidade, já que tem sido mais ágil essa chegada do aluno à graduação”.

A vice-governadora exaltou o empenho dos estudantes, por considerar que o ensino a distância demanda mais auto-disciplina e dedicação por parte dos alunos. “São vocês que fornecem esses números animadores e validam os resultados positivos da iniciativa”.

Mais sobre a UAB no Ceará

A Universidade Aberta do Brasil é uma iniciativa do Governo Federal/Capes, através de parceria com estados e municípios. Atualmente o Ceará dispõe de 97 cursos de graduação e pós-graduação ofertados em 36 polos, sediados em 34 municípios. São eles: Aracoiaba, Acaraú, Aracati, Barbalha, Beberibe, Brejo Santo, Camocim, Campos Sales, Caucaia (polos Itambé, Jurema e Novo Pabussu), Crateús, Fortaleza, Iguatu, Ipueiras, Itapipoca, Itarema, Jaguaribe, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Missão Velha, Orós, Pedra Branca, Piquet Carneiro, Quiterianópolis, Quixadá, Quixeramobim, Redenção, Russas, São Gonçalo do Amarante, Sobral, Tauá e Ubajara.

Desses polos, nove são de responsabilidade do Governo do Ceará, por meio da Secitece. Em 2017, foram incluídas mais 6.280 vagas para a graduação e 2.538 para pós-graduação, totalizando 8.818 novas vagas. A metodologia utilizada é a da educação a distância, em cursos que atendem as demandas e vocações das cidades.

Participaram da aula inaugural que marcou o início das atividades da UAB em 2017 o prefeito de Maranguape, João Paulo Xerez; o reitor da Universidade Estadual do Ceará, Jackson Sampaio; o reitor do Instituto Federal do Ceará, Virgílio Araripe; o professor Mauro Pequeno, representando a reitoria da Universidade Federal do Ceará; o deputado federal Leônidas Cristino; os deputados estaduais Carlos Felipe e Lucílvio Girão; o coordenador de Educação Superior da Secitece, Cândido B.C. Neto, e a coordenadora do polo UAB de Maranguape, Juliana Campos.

06.03.2017

Cynthia Cardoso Fontenele
Jornalista | 1982 JP/CE
Assessoria de Comunicação – Secitece

Expediente imprensa 09jan 2017-01