#MêsdaMulher: Seminário debate planejamento reprodutivo para mulheres em risco social

7 de março de 2017 # # # #

banner site seminário planejamento sexual 2

No Dia Internacional da Mulher, quarta-feira (8), a Secretaria da Saúde do Estado realiza no Hotel Luzeiros, em Fortaleza, das 8 às 17 horas, o seminário Planejamento Sexual e Reprodutivo para Mulheres em Situação de Risco Social, ocasião em que será apresentado o Projeto Saúde Reprodutiva em Mulheres em Condição de Vulnerabilidade. O seminário oferece 100 vagas para médicos e profissionais de enfermagem da atenção primária dos municípios e das maternidades de referência no Estado, além de integrantes dos movimentos sociais ligados às mulheres. O evento contará com a presença da primeira-dama do Estado, Onélia Leite de Santana.

Durante o seminário, realizado em parceria com o Programa Mais Infância, Secretaria de Justiça e Cidadania e Sociedade Cearense de Ginecologia e Obstetrícia, acontecerão, entre outras, palestras e discussões sobre a saúde das mulheres em situação de privação de liberdade, planejamento reprodutivo e métodos contraceptivos. Assegurado pela Constituição Federal e também pela Lei n° 9.263, de 1996, o planejamento familiar é um conjunto de ações que auxiliam as pessoas que pretendem ter filhos e também quem prefere adiar o crescimento da família.

O planejamento reprodutivo, além de prevenir a gravidez não planejada, as gestações de alto risco e a promoção de maior intervalo entre os partos, proporciona às mulheres a independência quanto ao tempo dedicado à sua formação educacional e suas escolhas profissionais. O desafio atual é garantir que a informação e as opções de planejamento reprodutivo cheguem às populações de mulheres vulneráveis como as adolescentes, as usuárias de drogas, as moradoras de rua e as presidiárias.

O Projeto Saúde Reprodutiva em Mulheres em Condição de Vulnerabilidade já foi iniciado no ambulatório do presídio feminino e será estendido aos centros socioeducativos, dependentes químicas em situação de risco social e às adolescentes que realizaram o primeiro parto nas maternidades de referência. O projeto prevê a oferta de métodos contraceptivos gratuitos às mulheres assistidas, com prioridade para o implante subdérmico, método contraceptivo reversível de longa duração. O objetivo é reduzir a mortalidade materna e infantil no Ceará e a taxa de gravidez não planejada nas mulheres em situação de risco social.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), no Ceará 57,4% das mulheres entre 18 e 49 anos evitam a gravidez com a utilização de métodos contraceptivos. Mesmo assim, 75,5% das mulheres nessa faixa etária já engravidaram e a idade média da primeira gravidez é de 20,7 anos.

No Brasil, a Política Nacional de Planejamento Familiar assegura a toda mulher em idade fértil (de 10 a 49 anos de idade) o acesso aos anticoncepcionais nas Unidades Básicas de Saúde. A escolha da metodologia mais adequada deverá ser feita pela paciente, após entender os prós e contras de cada um dos métodos. A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS), feita em 2006, revelou que 46% das gravidezes não são planejadas.

Serviço:

Seminário Planejamento Sexual e Reprodutivo para Mulheres em Situação de Risco Social

Data: quarta-feira, 8 de março
Horário: 8 às 17 horas
Local: Hotel Luzeiros – Avenida Beira Mar, 2600, Meireles

Mais informações com o Núcleo de Saúde da Mulher, Adolescente e Criança da Coordenadoria de Políticas e Atenção à Saúde (Nusmac /COPAS): (85) 3101. 5201/ 5282

07.03.2017

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa 09jan 2017-01