Hospital São José alerta sobre importância do diagnóstico precoce da tuberculose

22 de março de 2017 # # #

banner site HSJ atendimento tuberculose

Quando Afonso (nome fictício) chegou à emergência do Hospital São José, encaminhado da Unidade de Pronto Atendimento, já passava de 15 dias com tosse e a perda de peso era notada por amigos e parentes. O diagnóstico de tuberculose veio em poucas horas.

Depois do atendimento de emergência, Afonso foi encaminhado para tratamento no Ambulatório de Tuberculose do Hospital São José. “Consegui começar o tratamento logo. Recebi todos os remédios e fiz exames que nunca tinha feito na minha vida”, diz o vendedor. A rotina de exames, consultas e medicamentos segue até hoje, 10 meses depois do diagnóstico. Isso é fundamental para o sucesso no tratamento.

A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões. Anualmente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, são notificados cerca de 10 milhões de novos casos em todo o mundo, levando mais de um milhão de pessoas a óbito. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, a cada ano, são notificados aproximadamente 70 mil casos novos de tuberculose e ocorrem 4,5 mil mortes em decorrência da doença.

“A tuberculose é uma doença muito grave, mas é curável. Se o diagnóstico é rápido, a chance de cura pode chegar a 95%. Para isso, a adesão ao tratamento de no mínimo seis meses é fundamental. Exames e, principalmente, medicamento sem interrupção”, reforça o médico infectologista Roberto da Justa.

O Ambulatório de Tuberculose do Hospital São José completa 14 anos em 2017. Funciona às sextas-feiras, com consultas agendadas. Todos os meses, mais de cem pacientes da capital e do interior são atendidos por médicos infectologistas, fazem exames e recebem todos os medicamentos utilizados no tratamento. São acompanhados, principalmente, pacientes com coinfecção TB/HIV e aqueles que apresentam a tuberculose multirresistente a medicamentos.

O Brasil é um dos vinte países com maior número de casos da doença. Parte desses brasileiros tem ainda coinfecção a tuberculose e HIV, o que torna o tratamento ainda mais delicado. “Eu não sabia que tinha HIV. Cheguei ao Hospital São José numa terça com tuberculose e o médico pediu para fazer o teste de HIV e deu positivo. Na sexta-feira já comecei o tratamento no ambulatório e continuo há quase um ano. Meu tratamento está indo bem, graças a Deus e aos médicos daqui”, comemora o aposentado Luís (nome fictício).

O acompanhamento ambulatorial do HSJ também busca o bem-estar da família dos pacientes. Existe uma rotina de conscientização para que a doença não chegue a parentes e outras pessoas próximas de quem está tratando a tuberculose. “Uma vez diagnosticada a tuberculose e iniciado o tratamento, depois de 15 dias é interrompida a transmissão da doença.”, ressalta o infectologista Roberto da Justa.
Serviço:

Ambulatório de Tuberculose Hospital São José
Atendimento: todas as sextas-feiras, com hora marcada
Contato: (85) 3101-2343

22.03.2017

Assessoria de Comunicação do Hospital São José
Franciane Amaral
(85) 3101-2371/ 9 8961.3880

Expediente imprensa 09jan 2017-01