Mais Infância Ceará: Seminário Internacional inicia série de discussões sobre políticas para o desenvolvimento infantil

30 de março de 2017 # # # # #

Abertura do Seminário Internacional Mais Infância Ceará: Criança é Prioridade

Abertura do Seminário Internacional Mais Infância Ceará: Criança é Prioridade – Foto: Marcos Studart

Evento acontece até esta sexta-feira (31) no Centro de Eventos, em Fortaleza. A primeira-dama do Estado e idealizadora do Mais Infância Ceará, Onélia Leite de Santana, é a articuladora do encontro

Debates e apresentações sobre a importância de investir em políticas públicas para o período da primeira infância formaram o fio condutor da abertura do “Seminário Internacional Mais Infância Ceará: Criança é Prioridade”, na manhã desta quinta-feira (30), no Centro de Eventos do Ceará. O evento prosseguirá até esta sexta-feira (31), com programação que reúne nomes de referência nacionais e internacionais na área do desenvolvimento infantil. O encontro é uma realização do Governo do Ceará através do Gabinete do Governador e da Secretaria da Educação, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Padin), e também do Banco Mundial.

A primeira-dama do Estado é idealizadora do Mais Infância Ceará

A primeira-dama do Estado é idealizadora do Mais Infância Ceará – Foto: Marcos Studart

Idealizadora do projeto, a primeira-dama do Estado, Onélia Leite de Santana, oficializou a abertura da programação no Centro de Eventos, acompanhada pelo governador Camilo Santana. Para ela, o seminário trata-se de um momento histórico no Ceará, onde se concretiza o compromisso do planejamento estadual com ações voltadas ao desenvolvimento das crianças cearenses, embasadas por pesquisas e estudos. “Esse é um momento rico de conhecimento. Colocaremos aqui os nossos desafios, juntamente com os gestores municipais, iniciativa privada, ONGs que trabalham em prol da infância. Teremos muitos debates e discussões focados na busca por soluções para superar todos os desafios no nosso Estado. Nós lançamos o Programa Mais Infância Ceará em 2015, e ele foi discutido junto com as universidades, fundações e ministérios. O objetivo desde o início foi unir a pesquisa da universidade à prática nos municípios, com estratégias e ações realizadas para o desenvolvimento infantil. É com muita alegria que realizamos este evento”, destacou a primeira-dama.

O governador Camilo Santana classificou como indispensável o amadurecimento de novas ideias para que se possa assegurar o crescimento saudável e de qualidade para todas as crianças no Estado. Para isso, lembra o chefe do Executivo, o Governo do Ceará tem investido na instalação de brinquedopraças, creches, dentre outros equipamentos que proporcionam segurança e perspectivas educacionais na vida do público infantil. “A criança precisa ter, nos primeiros anos, todo o carinho da família e o seu vínculo familiar protegido. Mas, além disso, ela também necessita usufruir de espaços adequados para brincar, crescer e se desenvolver. Por isso buscamos qualificar o espaço público em diversos municípios, totalmente adaptados para crianças. Fazemos todo o acompanhamento através do Padin, para saber como está o desenvolvimento dessas crianças, e assim traçamos todo um planejamento para investir nesta área. Qualquer comprometimento da criança nesta faixa etária vai comprometer todo o restante da vida. Seja no Ensino Fundamental, seja no Ensino Médio, seja na vida acadêmica. Portanto é preciso cuidar bem das nossas crianças através dessa pactuação”, explicou.

O seminário tem como objetivo fomentar a busca por conhecimentos específicos de gestores municipais para construção de políticas de fortalecimento da infância e de garantia dos direitos das crianças. Por isso, o evento tem como público-alvo, durante os dois dias, prefeitos, primeiras-damas e secretários de Educação, Saúde e Assistência Social do Estado e dos municípios, além de profissionais e entidades que realizam trabalhos em prol da infância. A iniciativa faz parte do Programa Mais Infância Ceará, e reúne os gestores municipais para fortalecer a infância e garantir os direitos das crianças. Na ocasião, o Estado e os municípios participantes assinaram um pacto em prol do desenvolvimento da primeira infância.

Mary Young é atual diretora do Centro de Desenvolvimento Infantil da Fundação de Pesquisa de Desenvolvimento da China

Mary Young é atual diretora do Centro de Desenvolvimento Infantil da Fundação de Pesquisa de Desenvolvimento da China – Foto: Marcos Studart

Discussão de abertura

O primeiro momento de explanação no seminário foi a palestra magna ministrada pela pediatra especialista em saúde global e desenvolvimento da criança, Mary Young. Doutora em Medicina, ela é atual diretora do Centro de Desenvolvimento Infantil da Fundação de Pesquisa de Desenvolvimento da China e conselheira sênior do Centro de Desenvolvimento da Criança da Universidade de Harvard.

A conferência facilitada pela especialista abordou o tema “Por que investir na primeira infância”, através da qual Young dissertou acerca dos caminhos a serem traçados pelas políticas públicas, com estratégia voltada para o desenvolvimento humano. A palestrante apresentou levantamentos sobre os principais desafios no desenvolvimento da criança pelo mundo – como pobreza e desnutrição – e deu exemplos de ações bem sucedidas por gestores em países desenvolvidos e em desenvolvimento.

“É um grande prazer estar em Fortaleza para fazer parte desta conferência, que nos traz para uma discussão bastante relevante: o porquê de investir na primeira infância deve ser a questão central nas políticas do Estado. Os primeiros anos de vida da criança são de um desenvolvimento cerebral fundamental, portanto toda a estrutura deve ser fornecida para que este processo ocorra sem problemas”, expôs a especialista.

Além de Young, apresentarão palestras nesta quinta-feira o professor de Economia da Universidade Rice, em Houston, nos Estados Unidos, Flávio Cunha, que fará exposição dialogada sobre a importância do monitoramento e avaliação dos programas e políticas públicas, e o mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UNB) e vice-presidente mundial da OMEP – Organização Mundial para a Educação Pré-escolar, Vital Didonet, que abordará o tema “Marco legal da primeira infância e a rede da primeira infância no Estado do Ceará”.

Nos dois dias de evento serão expostas iniciativas de sucesso da infância realizadas no Chile e no Peru, além de contar com a presença de nomes de referência na área como palestrantes das Universidades de Harvard, de Rice, ambas nos EUA, de São Paulo (USP), de Brasília (UNB), da Federal do Ceará (UFC), e de instituições ligadas à infância.

O evento conta ainda com a parceria das prefeituras municipais, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual do Ceará (Uece), do Instituto da Infância (Ifan), Prefeitura de Fortaleza, da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Ceará (APDMCE).

Mais Infância

O Mais Infância, lançado em agosto de 2015, foi idealizado pela primeira-dama Onélia Leite de Santana, que é presidente do Comitê Consultivo Intersetorial das Políticas de Desenvolvimento Infantil (CPDI), responsável por articular ações no Estado para a infância. O Mais Infância é estruturado em três pilares (Tempo de Brincar, Tempo de Aprender e Tempo de Crescer) e já realizou diversas ações com foco no desenvolvimento infantil.

Através do Tempo de Brincar, serão entregues, em 2017, 40 brinquedopraças, 35 brinquedocreches e 15 Praças Mais Infância aos municípios cearenses. Pelo Tempo de Aprender, foram entregues centros educacionais pela rede pública estadual com mais ofertas de pré-escola e ampliação das atividades de creche.

Com objetivo de fortalecer vínculos familiares e comunitários através de serviços e formações que contemplem profissionais, pais e cuidadores, o Tempo de Crescer foi desenvolvido e implementou diversas ações de capacitação pelos municípios. Foram capacitados profissionais dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) nos 36 municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) ou em vulnerabilidade social e realizadas visitas domiciliares em 36 municípios para o acompanhamento de 5.000 famílias; além de formados 700 agentes comunitários de saúde e 120 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família na área do desenvolvimento infantil.

30.03.2017

André Victor Rodrigues
Repórter / Célula de reportagem

Fotos: Marcos Studart e Carlos Gibaja / Governo do Ceará