Hospital de Messejana realiza mais uma capacitação em Transplante Cardíaco

19 de junho de 2017 #

Assessoria de Comunicação do Hospital de Messejana Milena Fernandes (85) 3101-4092 / 988413091 Fotos: Assessoria de Comunicação do HM

Cerca de 60 profissionais, entre médicos, perfusionistas, psicólogos, fisioterapeutas, enfermeiros e nutricionistas, estiveram reunidos em Fortaleza neste final de semana, 17 e 18 de junho. Eles participaram do décimo módulo da Tutoria em Transplantes Cardíacos do Hospital de Messejana, da rede pública do Governo do Ceará. O projeto é resultado de um convênio entre o Ministério da Saúde e a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará. O treinamento tem duração total prevista de 2 anos e tem assegurado um orçamento de R$ 4,5 milhões.

O perfusionista Douglas Davi, que trabalha no Hospital Meridional de Vitória do Espírito Santo (ES), declarou que durante os encontros realizados aqui no Ceará é possível compartilhar experiências e adquirir conhecimentos essenciais. “A equipe multidisciplinar do Hospital de Messejana demonstra muita organização e eficiência. Nós estamos levando para o Espírito Santo muitas metodologias, que já são realizadas aqui com sucesso, e isso tem melhorado muito os nossos serviços”, disse.

Esse módulo, realizado entre os dias 16 a 18 julho, no Hotel Diogo, em Fortaleza, teve como tema principal a capacitação das equipes multidisciplinares (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais e nutricionistas) para uma grande atenção com o pós-operatório dos transplantes. Foram realizadas palestras com os temas: “Profilaxia e controle de infecção no pós-operatório imediato”, com Braulio Matias, “Protocolo de acompanhamento ecocardiográfico”, com Sandra Falcão, “Análise de Fatores de Risco para Mortalidade no Transplante Cardíaco”, com João David de Souza Neto, entre outras. Além das palestras, houve também apresentações de casos clínicos.

A fisioterapeuta Viviane Lacerda, do Hospital Ana Nery (BA), afirmou que este módulo foi bastante proveitoso para a área em que atua, pois foi possível estudar toda a vivência do paciente, todas as fases de reabilitação do transplantado. “Tudo o que estamos aprendendo aqui, com os profissionais do Hospital de Messejana, implantaremos lá na Bahia. Com certeza, vamos progredir muito com os ensinamentos da Tutoria”, falou.

A nutricionista Maria Eliza Ferrão, do Hospital Federal dos Servidores do Rio de Janeiro, contou que lá ainda não se faz transplante. Porém, foi montado um ambulatório de insuficiência cardíaca avançada. “Os conhecimentos adquiridos aqui estão sendo colocados em prática no ambulatório com uma equipe multidisciplinar. E tem dado super certo”, enfatizou.

 

Capacitação

O Projeto Tutoria em Transplante Cardíaco teve início em dezembro de 2015 e deve ser concluído até o final deste ano. Estão sendo treinados para realizar o transplante de coração, profissionais de cinco grandes hospitais brasileiros: Hospital Ana Nery (BA), Hospital Universitário de São Luís (MA), Hospital Meridional de Vitória do Espírito Santo (ES), Hospital dos Servidores Federais do Rio de Janeiro (RJ) e o Instituto do Coração de Natal (RN). Trinta profissionais do Hospital de Messejana estão envolvidos na realização do curso, que tem professores brasileiros e de outros países.

O cardiologista André Rodrigues, que trabalha em Salvador, na Bahia, explicou que no Hospital Ana Nery, na Bahia, ainda não se faz transplantes, porém são atendidos 22 pacientes transplantados em outros estados. “Estamos buscando esse ‘know-how’ da equipe do Hospital de Messejana para alancar com os transplantes na Bahia. O Hospital de Messejana vem ao longo desses 20 anos realizando transplantes cardíacos com muita eficiência, o que já tem sido exemplo e referência para diversos hospitais do país”, ressaltou.

O coordenador da Tutoria e cirurgião cardiovascular, Juan Mejia, fez uma avaliação positiva deste módulo. “As metas foram atingidas e com muita maturidade. Nosso grupo conseguiu transferir conhecimentos para outros centros que pretendem iniciar ou continuar com os transplantes cardíacos com propriedade”, declarou.

No segundo semestre, a equipe coordenadora da Tutoria do HM tem a missão de visitar todos os hospitais do país que estão sendo capacitados pelo projeto a fim de que sejam implementados os programas de transplante cardíaco nesses locais. “O grupo que está sendo capacitado já está pronto, quer seja para iniciar ou continuar os procedimentos. Estamos na expectativa desse desafio”, concluiu Juan Mejia.