Secretaria da Saúde do Ceará reforça vacinação contra HPV

21 de agosto de 2017 # # #

Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel: Assessoria de Comunicação da Sesa - (85) 3101.5221 / 3101.5220
Fotos: Assessoria de Comunicação do Sesa

O papilomavírus humano (HPV) é responsável por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero, até 90% das verrugas anogenitais e, ainda, outros tipos de câncer que podem estar associados ao vírus – vagina, vulva, pênis, anus e orofaringe. A vacinação contra o HPV é a forma mais eficiente de se proteger contra esses cânceres. Para prevenir, é preciso vacinar meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos nos postos de saúde. Na última sexta-feira (18), a Secretaria da Saúde do Ceará intensificou a vacinação contra o HPV junto aos municípios, nas escolas. E na capital, a Sesa realizou durante a manhã uma mobilização na Arena Marco Zero, na Barra do Ceará.

Foi intensa a movimentação de meninos e meninas no posto de vacinação da Secretaria da Saúde do Ceará instalado na Arena Marco Zero. Logo cedo, Waldo Rodrigues de Sousa, 12 anos, foi ao local acompanhado da mãe, a vendedora Dourinha Sousa. “Acordei cedo hoje para vir tomar vacina. É importante para prevenir o câncer, né?”, disse enquanto tomava vacina contra HPV e meningite. A mobilização aconteceu das 8 às 14 horas para reforçar a cobertura vacinal contra o HPV. Foram 104 doses aplicadas. Também houve vacinação contra hepatite B, com aplicação de 150 doses, e contra meningite, com seis doses aplicadas da vacina Meningocócica C.

A mãe de Sara Júlia Martins, 9 anos, mantém a carteira de vacinação da filha sempre atualizada. “A gente acha muito importante fazer a vacinação”, diz a vendedora Renata Pereira, mostrando orgulhosa a carteira de vacinação da filha em dias. Quando soube da mobilização da Sesa, ela já se organizou para levar a menina para tomar a primeira dose da vacina. As primas Monique Gabriele Ribeiro e Brenda Fabiele Gonçalves, ambas de 11 anos, também participaram da vacinação no posto instalado na Barra do Ceará e devem tomar a segunda dose após seis meses. “Soubemos da vacinação na escola. A gente sabe que é para evitar o câncer”, confirma.

Ampliação da faixa etária

Este ano, pela primeira vez, a vacina HPV é disponibilizada para meninos. Segundo o Ministério da Saúde, a ampliação da faixa etária de meninos para 11 a 14 anos de idade fortalece as ações de saúde na população masculina e possibilita a prevenção da ocorrência dos cânceres de pênis, anus, orofaringe e verrugas genitais. A vacinação de meninos, diz o Ministério, contribui para o aumento da proteção também nas meninas, impactando nas próximas décadas o perfil epidemiológico das infecções atribuíveis ao HPV em ambos os sexos.

A população de 201.496 meninos de 11 a 14 anos no Ceará ainda está longe de alcançar a meta de 80% de cobertura vacinal para 2017, estabelecida pelo Ministério da Saúde. Até o dia 14 de agosto, a cobertura estava em 9,45% para a primeira dose da vacina, com 19.045 doses aplicadas, e em 0,28% para a segunda dose, com 578 doses aplicadas.

As 500.661 meninas de 9 a 14 anos, que já eram vacinadas em anos anteriores, estão com cobertura de 79,52% para a primeira dose, com 398.155 doses aplicadas a partir de 2014, e de 53,81% para a segunda dose, com 269.413 doses acumuladas desde aquele ano. A estimativa da coordenação estadual de imunizações é de 121.798 de meninas não vacinadas com a primeira dose e de 358.281 não vacinadas com a segunda dose.

O esquema vacinal contra o HPV é de duas doses, a segunda dose seis meses após a primeira. Desde 2014, o imunizante é distribuído gratuitamente pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Para homens e mulheres com imunodeficiência, a vacina está disponível nas unidades de saúde mediante prescrição médica com justificativa, além do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE). Adultos, entre 25 e 64 anos, é importante seguir fazendo o exame preventivo, o Papanicolau.