Setembro Verde: Ceará chega aos mil transplantes em 2017

26 de setembro de 2017 # # #

Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel - Assessoria de Comunicação da Sesar
(85) 3101.5221 / 3101.5220 - www.facebook.com/SaudeCeara

No mês de conscientização para a doação de órgãos para transplantes, o Ceará ultrapassa a marca dos mil transplantes no ano e chega ao Dia Nacional de Doação de Órgãos, 27 de setembro, com o total de 1.098 transplantes realizados em 2017. Já são 161 transplantes de rim, um de rim/pâncreas, 21 de coração, 143 de fígado, 3 de pulmão, 62 de medula óssea (42 autólogos e 20 alogênicos), 705 de córnea, um de esclera e um de valva cardíaca. Em relação ao ano de 2016, até o mês de agosto, este ano o Ceará realizou mais transplantes de fígado e o mesmo número de transplantes de pulmão e de medula óssea, embora o maior número de transplantes alogênicos em 2017.

Como em 2016, a marca dos mil transplantes foi alcançada em agosto. De janeiro a agosto de 2016, houve 1.153 transplantes no Ceará. Em igual período de 2017, foram realizados 1.012 transplantes no Estado. A queda no ritmo dos transplantes em 2017, entretanto, é em grande parte justificada por uma grande conquista do Estado em 2016, ano em que o Ceará zerou a fila de espera de transplantes de córnea, depois de 34 anos realizando esse procedimento, iniciado em 1982. Na diferença de 141 transplantes a menos este ano, até agosto, 101 são de transplantes de córnea. “Fila zero” de córnea é uma meta estabelecida pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) e indica a situação em que o paciente que precisa de um transplante não necessita esperar pelo tecido porque ele já está disponível para a cirurgia. Na segunda-feira, 25 de setembro, a lista de espera para esse tipo de transplante contava apenas sete pacientes ativos.

O Brasil tem hoje o maior sistema público de transplantes do mundo, no qual cerca de 95% dos procedimentos e cirurgias são feitos com recursos públicos. O Ceará, anualmente, fica entre os Estados que mais realizam transplantes de órgãos no país, com recordes sucessivos.

Além do elevado nível de especialização e excelência das equipes transplantadoras no Ceará e do trabalho das Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTTs), a efetivação das doações e um dos principais fatores que contribuem para o crescimento no número de transplantes. O Ceará conta hoje com 52 hospitais notificantes e 18 CIHDOTTs. Para ser um doador não precisa deixar mais nada por escrito. Basta avisar a sua família sobre a vontade de doar e ajudar a salvar vidas.

 

Ouça

Eliana Régia, coordenadora da Central de Transplantes do Ceará, informa que hoje o Ceará auxilia outros Estados do Brasil a diminuir as filas de transplantes de córnea.