Emergência do Hospital de Messejana atende 10 mil pacientes por mês

29 de setembro de 2017 # #

Milena Fernandes: Assessoria de Comunicação do Hospital de Messejana - (85) 3101-4092 / 98841.3091

O Dia Mundial do Coração, 29 de setembro, é um momento de conscientização para os cuidados que se deve ter para evitar doenças cardiovasculares. No Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes cerca de 10 mil pacientes são atendidos todos os meses na emergência. A maioria dos casos é algum tipo de doença cardíaca que poderia ser evitada com cuidados na alimentação e mudanças no estilo de vida dos pacientes. A instituição é referência nacional na área e atende os casos mais complexos relacionados às doenças do coração.

Para evitar problemas cardíacos, o ideal é apostar na prevenção. A nutricionista do Hospital de Messejana, Benedita Jales, especialista em cardiopneumologia, explica que para a saúde do coração são necessárias algumas medidas como o controle do peso corporal, pressão arterial, glicemia, colesterol e triglicerídeos, assim como a realização de exercícios físicos e a suspensão do tabagismo.

Boa parte das medidas possíveis de serem alcançadas têm a ver com a alimentação. “É muito importante o consumo de alimentos in natura, como os cereais integrais, frutas, hortaliças, oleaginosas, peixe e azeite de oliva”, diz.

Benedita Jales ressalta a importância do acompanhamento com profissional nutricionista para o sucesso da terapia. “Alguns nutrientes também são importantes aliados na prevenção das doenças cardíacas. As diretrizes atuais da Sociedade Europeia de Arteriosclerose e da Sociedade Europeia de Cardiologia sinaliza como medidas eficazes a substituição de gorduras saturadas e gorduras trans por gorduras mono- e poli-insaturadas, o aumento no consumo de fibras alimentares, ácidos graxos, ômega 3 e fitoesterol”, conclui.

Fatores de risco

O chefe da Unidade de Cardiologia do Hospital de Messejana, Alexandre Karbage,explica que a doença cardiovascular é a causa número um de mortes. “Muitas são as causas que levam o coração a adoecer. Os principais fatores de risco são hipertensão, diabetes, colesterol alto, tabagismo, sedentarismo e a própria genética, pessoas que tiveram familiares que apresentaram problemas cardíacos precisam ficar mais atentas. Além disso, existem outros agravantes: o stress emocional, o consumo de álcool, poucas horas de sono, obesidade e a falta de qualidade de vida. É preciso evitar esses fatores para reduzir os riscos de doenças cardíacas”, acrescenta.

O cardiologista explica ainda que o Hospital de Messejana é uma unidade terciária que trata as doenças mais complexas que envolvem o coração. “Os pacientes com sintomas de infarto (dores fortes no peito, náuseas, vômitos, intensa falta de ar), os pacientes com pressão alta e dor súbita no peito, aquelas pessoas com falta de ar súbita, problemas de veias nas pernas, ou seja, qualquer situação que envolvam dores fortes no peito, desmaio, perda súbita da consciência devem procurar o Hospital de Messejana”, explica.

O Hospital de Messejana atende pacientes que precisam de tratamento de alta complexidade e que, por algum tempo, ignoraram maneiras de prevenir as doenças cardíacas. São realizados no hospital tratamentos como o do infarto agudo do miocárdio (IAM), insuficiência cardíaca (que é quando o coração está com os batimentos fracos e isso causa falta de ar) e transplantes cardíacos. No hospital, também são feitos o tratamento da dissecção da aorta – quando a principal artéria do coração sofre uma lesão importante e tem que passar por uma cirurgia – e tratamento da embolia do pulmão, além de procedimentos percutâneos como os cateterismos.

Alimentação ideal para ter um coração saudável
A nutricionista preparou uma lista dos alimentos que fazem bem ao coração e dos que prejudicam a saúde do coração.

Alimentos que fazem bem:

Frutas, verduras e legumes possuem propriedades antioxidantes e são excelentes fontes de vitaminas, minerais e fibras. Arroz integral, pão integral, aveia, gérmen de trigo, chia, quinoa e gergelim são grãos/cereais integrais ricos em fibras e possuem vitaminas do complexo B, alguns possuem ainda betaglucana, ômega-3 e magnésio. Oleaginosas (castanhas, nozes, avelã e macadâmia) possuem gorduras monoinsaturadas que atuam no controle glicêmico e do colesterol, além de selênio
Abacate, azeite de oliva e linhaça também são excelentes fontes de gorduras monoinsaturadas e vitamina E, sendo esta antioxidante.

Peixes (anchova, arenque, atum, salmão, sardinha e truta) oferecem ácidos graxos poliinsaturados (ômega-3), selênio, vitamina D e aminoácidos (arginina e glutamina).
Uvas e vinho tinto são ricos em resveratrol, um antioxidante que protege o coração. Laticínios (leite e derivados semidesnatados ou desnatados) com reduzido teor de gordura saturada. Devendo-se preferir queijos mais brancos (frescal, ricota ou cottage).

Alho, cebola, cranberries, blueberries e cacau em pó são fontes de quercetina, que age reduzindo o estresse oxidativo e melhorando a permeabilidade vascular.
Frutas cítricas contêm hesperidina, outro flavonóide com ação antioxidante, anti-inflamatória e de inibição da agregação plaquetária.

Alimentos que prejudicam a saúde do coração:

Ultraprocessados e processados são alimentos pobres em vitaminas e minerais e possuem alto teor de gorduras, açúcares e/ou sódio, tais como: biscoito recheado, nuggets, pizza, sorvete, salgadinhos de pacote, sopa em pó, temperos prontos, refrigerante e macarrão instantâneo. Fritura em geral, produtos de pastelaria, linguiça, bacon e presunto.