Mutirão oferta empregos para 800 pessoas com deficiência

29 de setembro de 2017 # # #

Carlos Eugênio - Assessoria de Comunicação da STDS
Sheyla Castelo Branco - Fotógrafa STDS

“Consegui encaminhamento para duas entrevistas e continuo visitando os estandes. Estou satisfeito com o atendimento aqui no evento e acho excelente a iniciativa de concentrar todas essas empresas num só lugar. Isso facilita demais para o trabalhador”, comenta o auxiliar administrativo José Eloy de Queiroz, 38 anos, desempregado há quatro meses. Eloy tem deficiência motora, consequência de um acidente de moto, e veio ao Centro de Profissionalização Inclusiva para a Pessoa com Deficiência (Cepid), nesta sexta-feira (29), buscar uma das 807 oportunidades de trabalho disponibilizadas por 36 empresas parceiras da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) no Dia D de Contratação de Pessoas com Deficiência.

“Ficamos muito felizes que tantas empresas tenham atendido ao nosso chamado e se juntado a nós na quarta edição do Dia D. Esperamos que, mais do que encaminhamentos e entrevistas marcadas, os trabalhadores possam sair daqui já com a vaga garantida. O que temos aqui hoje é, antes de qualquer coisa, um grupo de excelentes profissionais que certamente farão a diferença no mercado de trabalho tão logo sejam recolocados”, reforça a coordenadora do Cepid, Regina Tahim. A ação conta com a parceria do Sine/IDT, da Superintendência Regional do Trabalho no Ceará (SRT/CE) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SDE).

Para concorrer a um cargo, o candidato deve apresentar Carteira de Trabalho (CTPS), RG, CPF, laudo médico da respectiva deficiência, comprovante de endereço e curriculum vitae (não obrigatório). Munida da documentação, Sandra Maria da Silva Nascimento, 36 anos, veio ao Cepid na expectativa de voltar ao mercado de trabalho. “Só precisamos de espaço para mostrar nossas capacidades, nossas habilidades. Tive poliomielite aos dois anos de idade e fiquei com deficiência motora, mas costumo dizer que faz tempo e é pra frente que se anda. Hoje eu vim conseguir meu emprego”, declarou Sandra Maria.
 

Empresas parceiras

Entre as empresas contactadas pela STDS que ofertam vagas estão: Aeris, Beach Park, Colégio Christus, CRC, Companhia Siderúrgica do Pecém, Empreendimentos Pague Menos, Colégio Farias Brito, FA2F, Hospital São Camilo Cura d’Ars, Ibyte, Meireles e Freitas, Normatel, Seguro Segurança, Transnordestina, Universidade de Fortaleza, Vega, Vuação Fortaleza, Barra Comercial de Carnes LTDA/Fribal, Bezerra Oliveira Autopeças, Casa Pio, Fábrica Fortaleza, Grendene, Grupo Zenir, Grupo Edson Queiroz, Interativa Empreendimentos, LIQ, Hapvida Saúde, Super Lagoa, Protemax Segurança, SOSERVI, Solução Serviço, Frangolândia, Vicunha Têxtil S/A, Cialne, Hotel Vila Galé e IAP Cosméticos.

Ainda durante o Dia D, profissionais da Célula de Educação Social e Profissional, da Coordenadoria do Empreendedorismo e do Laboratório de Inclusão da STDS; da SRT/CE; da OAB/CE; do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Cedef/CE); e do Sesc estão no Balcão de Informações prestando esclarecimentos aos trabalhadores sobre os serviços que ofertam.
 

Inclusão gerando resultados

Até setembro de 2017, em todo o Ceará, a STDS, por meio do Sine/IDT, colocou no mercado de trabalho 1.198 pessoas com deficiência, das quais 213 têm deficiência auditiva, 734 física, 145 apresentam deficiência visual e oito têm deficiência mental ou intelectual. Em 2016, foram inseridos 1.647 trabalhadores com algum tipo de deficiência.

Equipamento gerido pela STDS, o Cepid atende às demandas de pessoas com deficiência por formação, qualificação e inserção no mercado de trabalho, ofertando serviços também à população em geral. Desde sua criação em 2014, a unidade cadastrou um total de 7.355 pessoas, das quais 2.911 são pessoas com deficiência. Os cursos de qualificação, nas modalidades presencial e à distância, beneficiaram 2.558 pessoas e 854 foram inseridas no mercado de trabalho. Só em 2017, 1.676 pessoas foram cadastradas pelo Centro, das quais 757 têm deficiência. O Cepid também qualificou 213 jovens e adultos com deficiência de 532 inscritos e inseriu 170 profissionais com deficiência no mercado de trabalho.
 

A Lei de Cotas

Segundo a SRT/CE, 1.110 empresas estão obrigadas a cumprir a cota de contratação de pessoas com deficiência (PCDs) e reabilitados do INSS, no Ceará. Juntas, elas possuem um total de 801.891 empregados. No entanto, somente 13.970 dos contratados são PCDs ou reabilitados do INSS, o que representa apenas 40,29% do total.

A reserva legal de cargos, também conhecida como Lei de Cotas (art. 93 da Lei nº 8.213/91) estabelece a obrigatoriedade de empresas com 100 ou mais empregados preencherem uma parcela de seus cargos com pessoas com deficiência, em proporções que variam de acordo com o número de empregados: até 200, a reserva legal é de 2%; de 201 a 500, de 3%; de 501 a 1.000, de 4%; e acima de 1.001, de 5%.
 

Censo Demográfico

O último Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que cerca de 2,3 milhões de cearenses apresentam alguma deficiência, seja física, auditiva, visual, mental ou múltipla. O dado representa 27,69% dos 8,4 milhões de habitantes do Estado, terceiro maior em número de pessoas com deficiência, atrás do Rio Grande do Norte e da Paraíba. No Brasil, 45,6 milhões de pessoas ou 23,92% da população tem algum tipo de incapacidade para ver, ouvir, mover-se ou alguma deficiência física ou intelectual. Trabalhadores com deficiência representam cerca de 23% do total de ocupados no País.
 

O Cepid

A unidade, localizada na Barra do Ceará, em Fortaleza, oferece serviços de orientação psicossocial, por meio de equipe multidisciplinar; cursos de formação e qualificação nas áreas de Indústria, Comércio e Serviços, de acordo com as demandas do mercado e as necessidades das empresas; intermediação para o mercado de trabalho; acompanhamento periódico das pessoas com deficiência inseridas nos postos de trabalho; ações de sensibilização nas empresas para o trato com as pessoas com deficiência.

Na área do esporte, o Cepid atende, em média, 150 atletas por ano, em modalidades como basquete em cadeiras de rodas, natação, futsal de cinco para deficientes visuais, futebol em cadeiras de rodas e tênis de mesa, gerando resultados favoráveis, como a convocação de atletas do basquete e do futebol em cadeiras de rodas para suas respectivas seleções brasileiras.

O Cepid é um ambiente acessível equipado com piso tátil direcional e de alerta, assentos nos chuveiros, rampas e elevador de acesso, barras de apoio, mesas para cadeirantes nas salas de aula, além de área de convivência com cafeteria, salas de aula climatizadas, laboratórios de informática, salas de atendimento individual, auditório com capacidade para 80 pessoas, piscina acessível, quadra poliesportiva e academia de baixo impacto ao ar livre.

Os interessados em participar de atividades no Cepid devem ter a partir de 16 anos de idade e precisam realizar um cadastro para o qual é solicitado RG, CPF, comprovantes de residência e de escolaridade. Feito o registro, os novos inscritos são submetidos a uma entrevista com psicólogo e/ou assistente social e encaminhados aos serviços de seu interesse.

Mais informações:
Regina Tahim – Coordenadora do Cepid – 3101.2723 / 9.8956.7508