Porto do Pecém atinge a marca de 2 milhões de toneladas de placas de aço exportadas em 2017

9 de outubro de 2017 # # #

Luciana Castro - Assessora de Comunicação da Cearáportos
(85) 3456 3262 | (85) 98529 1720

O Porto do Pecém atingiu a marca de 2 milhões de placas de aço exportadas em 2017. O material produzido pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) é a principal carga de exportação em toneladas no Porto do Pecém.

O Porto do Pecém atingiu a marca de 2 milhões de placas de aço exportadas em 2017. O material produzido pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) é a principal carga de exportação em toneladas no Porto do Pecém.

A marca de 2.005.000 de toneladas foi atingida ao embarcar 49.911,755 t de placas no navio Nord Mississippi que tem como destino o Porto de Altamira, no México. Para o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, a marca é motivo de orgulho para todos os cearenses.

“É um orgulho termos placas de aço de altíssima qualidade, made in ceará sendo exportadas através do Porto do Pecém para o mundo, como por exemplo, a indústria de petróleo norte americana. É um sonho que se torna realidade”, diz.

O material produzido pela CSP tem como principal destino os Estados Unidos, que receberam, este ano, 40,5% do total movimentado (796.087t), em segundo lugar, a Turquia, com 16,8% (329.524 t). O produto é entregue também a outros 16 países, incluindo o Brasil, que ocupa a 11ª posição no ranking, correspondente a 1,64% (27.613 toneladas).

De janeiro a outubro deste ano o Porto do Pecém já recebeu 57 navios exclusivamente para o embarque de placas de aço. Com início das exportações em agosto de 2016, já foi exportado o total 2.607.376,9 de toneladas placas de aço.

Operação

O peso e tamanho das placas fazem delas uma carga especial, que implica em uma operação diferenciada.

As placas de aço são transportadas da CSP até o Porto do Pecém através de carretas especiais. Em seguida, são recepcionadas e armazenadas no pátio de armazenagem do porto. A operação é feita com empilhadeiras “reach stackers”.

Para o carregamento de navios, as placas de aço são transportadas até o Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), e ficam na área de pré embarque até serem embarcadas através de guindastes do tipo MHC (Guindaste Móvel Portuário).

“Nós temos uma equipe especializada para esse tipo de operação. Com certeza o sucesso de produtividade também está atrelado à eficiência de toda a equipe que faz a Cearáportos em diferentes atividades”, afirma o presidente.