Vice-governadora assina acordo para implantação de células de mediação escolar nos municípios

16 de outubro de 2017 # # #

Giuliano Vandson - Gestor de Células/Secretarias
Ascom/Gov. do Ceará - Fotos

Nesta segunda-feira (16), a vice-governadora Izolda Cela assinou o acordo de cooperação técnica com 17 municípios do Ceará para a implantação das células de mediação escolar. Também fazem parte do acordo a Secretaria da Educação e o Ministério Público Estadual.

Para a vice-governadora, esse acordo é importante porque, com a mediação, as mudanças quando efetivadas são vistas de forma concreta na sala de aula. “Mediação não é uma política de gabinete, apenas de gestores, pelo contrário, essa agenda de mediação de conflitos tem uma relação direta com o eixo do Ceará Pacífico na melhoria da segurança. Para a conquista dos resultados, precisamos ter em mente que a formação do estudante deve ser integral e daí vem a grande responsabilidade da escola, e um desses grandes desafios é garantir o entendimento dos contextos das crianças e dos jovens para transformar a dinâmica da escola garantindo uma união e um clima positivo para que tudo possa acontecer”, destacou Izolda Cela.

A assinatura do termo de cooperação é uma das ações do Pacto por um Ceará Pacífico para a resolução pacífica de conflitos e para o desenvolvimento de ações voltadas para a construção de uma cultura de paz nas escolas e redução dos impactos da violência urbana no ambiente das unidades de ensino públicas municipais.

Com a assinatura do termo, o próximo passo é uma formação de mediadores já na primeira semana de novembro. O processo será coordenado pela Secretaria de Educação e pelo Gabinete da vice-governadora.

Para o secretário de educação do Ceará, Idilvan Alencar, dentro dos processos intangíveis que o mundo escolar vivencia a atuação na mediação é extremamente significativo. “Hoje começamos um processo com as mesmas características que começamos o Paic anos atrás. O Estado está aqui para ajudar, vamos acelerar esse processo, pois a mediação tem suas premissas e queremos que seja uma rotina na escola. Esse é um tema mais debatido hoje na educação do país. Nós não vamos atingir o sucesso nas escolas somente com o português e com a matemática. Quero ratificar a importância da mediação em todo o Estado do Ceará, é um compromisso”.

A representante do Ministério Público Estadual na assinatura do termo, a procuradora Vanja Fontenele, destaca a importância da mediação. “Somos acostumados a lidar com a sentença judicial, onde um vence e outro perde. Na mediação todos os lados se conjugam e encontram a solução para todos, e desde então venho defendendo a mediação em todos os fóruns que participo. Com a criação da célula de mediação e cultura de paz é uma cultura de conjugação de esforços para deixar para a geração futura um legado diferente do que está nos vivendo”.

Estiveram presentes no evento, membros do MP e gestores dos municípios de Acaraú, Baturité, Beberibe, Caucaia, Crateús, Crato, Guaramiranga, Iguatu, Itapajé, Jaguaribe, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Quixadá, Redenção Senador Pompeu, Tauá e Tianguá.

Mediação Escolar

A mediação escolar dentro do termo de cooperação é definida como o conjunto de saberes, comportamentos, habilidades, técnicas de mediação, práticas restaurativas e processos circulares, além de procedimentos que têm como objetivo a gestão positiva dos conflitos, a prevenção da violência e a construção de uma Cultura de Paz, conceito abrangente esse que é adotado em razão do contexto e do ambiente escolar.

 

Ouça

Para a vice-governadora, Izolda Cela, esse acordo é importante pois com a mediação as mudanças quando efetivadas são vistas de forma concreta na sala de aula.

Para o secretário de educação do Ceará, Idilvan Alencar, dentro dos processos intangíveis que o mundo escolar vivencia a atuação na mediação é extremamente significativo.