Quarteto de instrumentistas estreia show “Farra do Som” no Anfiteatro do Dragão do Mar

18 de outubro de 2017 # # # #

Luar Maria Brandão - Assessoria de Comunicação do Instituto Dragão do Mar

Cainã Cavalcante (CE), Michael Pipoquinha (CE), Mestrinho (SE) e Pedro Martins (DF) são as revelações da música instrumental contemporânea do Brasil. Pela primeira vez, eles se reúnem num show de músicas autorais e releituras cheias de samba, choro e jazz

Os virtuoses da nova safra da música instrumental brasileira se encontram em show inédito, em Fortaleza. Cainã Cavalcante (CE), Michael Pipoquinha (CE), Mestrinho (SE) e Pedro Martins (DF) estreiam, no próximo dia 19 de outubro, o show “Farra do Som”, às 20h, no palco do Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Festejados mundo afora, os quatro músicos vão apresentar repertório autoral que explora uma mistura criativa de choro, samba, música nordestina e jazz improviso, e ainda inspirados arranjos das canções de Chico Buarque e do multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Dragão e custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

De encontro em encontro nos festivais de música pelo Brasil, os instrumentistas se conheceram e passaram, desde então, a realizar toda combinação possível de parcerias entre eles. “Eu tenho um duo com o Pipoquinha, que tem com o Mestrinho, que tem com o Pedro, que tem comigo, e assim vai”, explica o violonista cearense Cainã Cavalcante. Até que, finalmente, eles resolveram unir todo esse talento num só show. “Por isso batizamos de Farra do Som, porque nos divertimos tocando juntos e esperamos assim divertir todo o público também”, afirma. Cainã adianta ainda que o show, que estreia em Fortaleza, vai circular dentro e fora do Brasil, numa agenda ainda a ser definida, mas que deve contemplar as cidades de cada um dos músicos.

Para o diretor de Ação Cultural do Dragão do Mar, João Wilson Damasceno, o Farra do Som é um intercâmbio importante entre jovens instrumentistas brasileiros reconhecidos não só por aqui, mas no exterior também. “Nos sentimos lisonjeados de sermos parceiros na realização deste grande encontro, oferecendo ao público da cidade um show inédito de música instrumental do Brasil”, define João Wilson. Com Cainã no violão, Mestrinho na sanfona, Pipoquinha no baixo e Pedro na guitarra, a apresentação traz canções inéditas como “Resistência” e “Baião Chuvoso”. O show terá ainda a participação especial do pianista cearense Thiago Almeida. “É música instrumental brasileira que passeia pela música do Nordeste, pelo choro, pelo samba e, claro, pelo jazz, com muita improvisação para surpreender as pessoas. Então, nossa expectativa é a melhor possível”, destaca Cainã.

Jovens de bagagem

Apesar de jovens, o quarteto do Farra do Som tem vasta bagagem. Pedro Martins, por exemplo, é um brasiliense de apenas 23 anos, mas que já desfruta de reconhecimento internacional por ter sido eleito o melhor guitarrista na competição Socar Guitar Competition no 49º Montreux Jazz Festival, o principal do gênero no mundo. Pedro era o único brasileiro a integrar a programação da competição do festival, com mais outros nove talentos da guitarra mundial. Dentre outros importantes festivais europeus, se apresentou com seu grupo no 50º Montreux Jazz Festival, na Suíça. De performance explosiva, o guitarrista mescla sua originalidade com influências musicais como Clube da Esquina, Miles Davis e Hermeto Pascoal.

Talento

Nascido em 1996, em Limoeiro do Norte (CE), Michael Pipoquinha, por sua vez, teve participação no Domingão do Faustão, mostrando todo seu virtuosismo no baixo, aos 13 anos de idade. De lá pra cá, fez shows na Argentina e no Uruguai, com o New Jazz BR Trio; na Alemanha, pelo programa We’ve Got a Talent; na Áustria e na Letônia, onde se apresentou ao lado do violonista Cainã Cavalcante, no Festival Rigas Ritmi; na África do Sul, com o Seu Domingos Trio do Jazz; e ainda na Suécia, no Brazilian Day Stockholm, novamente ao lado de Cainã.

Já Mestrinho é neto do tocador de oito baixos Manezinho do Carira e filho do sanfoneiro Erivaldo de Carira, de Sergipe. Com o DNA musical tão presente, já tocava sanfona aos seis anos de idade, desde então influenciado pela música de Dominguinhos, Sivuca, Pixinguinha, Hermeto Pascoal, entre outros. Já dividiu os palcos com Gilberto Gil, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Zélia Duncan, para citar alguns exemplos. Mestrinho acompanhou Dominguinhos em diversos shows pelo Brasil, além de ter gravado, em 2015, o mais novo DVD de Ivete Sangalo. A circulação entre os palcos de grandes artistas brasileiros corre em paralelo com sua produção autoral. Em 2017, Mestrinho lançou o segundo álbum, “É tempo pra viver”.

Por fim, o quarteto de virtuoses se completa com o fortalezense Cainã Cavalcante, que, com apenas 10 anos de idade, foi o 1° lugar no IV Concurso Nacional de Violão Musicalis, em São Paulo. Hoje, com 25 anos, deixa a condição de prodígio para ser um respeitado músico brasileiro, com currículo invejável para muitos veteranos. Em 2001, gravou seu primeiro CD “Morador do Mato”, com produção de Manassés de Sousa, Tarcísio Sardinha, Aroldo Araújo e participação mais do que especial do poeta e padrinho de batismo Patativa do Assaré. Já se apresentou em festivais pela França, como o Festival Mundial da Água, além de Cabo Verde, na África. Lançou, recentemente, o álbum “Corrente” e mantém outros projetos, como o duo de violões com um de seus maiores mestres, o violonista carioca Zé Paulo Becker.

SERVIÇO

Farra do Som – com Cainã Cavalcante, Mestrinho, Michael Pipoquinha e Pedro Martins
Quando: dia 19 de outubro de 2017 (quinta-feira)
Hora: 20h
Onde: Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). À venda na bilheteria do Dragão (de terça a domingo, das 14h às 20h)
Classificação etária: Livre