Ceará cresce 4,6% em agosto e supera as médias registradas no Nordeste, de 2,1%, e no Brasil, de 4,2%

19 de outubro de 2017 # # # # #

Pádua Martins - Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101-2862

A produção física da indústria de transformação cearense registrou, em agosto de 2017, uma alta de 4,6 por cento em relação ao mesmo mês do ano passado, superando, inclusive, o desempenho nacional, que ficou em 4,2 por cento. O resultado cearense é a quarta alta consecutiva e quita dentro do ano da produção física industrial do Estado, o que demonstra nítida recuperação da atividade este ano. A boa notícia está no Enfoque Econômico 161 – Desempenho da Produção Física da Indústria de Transformação Cearense (agosto/2017) publicado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Ao comparar com os resultados obtidos pelos demais estados e a região Nordeste, o estudo do Ipece mostra que o índice do Ceará (4,6 por cento), em agosto, foi o sétimo maior crescimento, acima da média nordestina (2,1 por cento) e nacional (4,2 por cento). Os maiores índices mensais foram observados nos estados de Mato Grosso (15,8 por cento); Paraná (8,8 por cento); Espírito Santo (8,7 por cento); São Paulo (6,6 por cento); Amazonas (6,0 por cento) e Santa Catarina (5,0 por cento).

O documento revela que a produção física cearense registrou uma queda de apenas 0,1 por cento na comparação agosto e julho de 2017 ajustada sazonalmente, apresentando nítida estabilidade na comparação dos últimos dois meses, com variação inferior à registrada pelo País (-0,8 por cento). É possível perceber que a produção industrial cearense vem apresentando maior volatilidade que a produção nacional, cujas variações foram menos acentuadas ao longo do ano de 2017. No segundo trimestre de 2017, a produção física da indústria de transformação cearense reverteu o quadro de sucessivas quedas apresentadas entre os meses de janeiro a março, passando a registrar altas significativas de 2,3 por cento, em abril e de 5,4por cento em maio deste mesmo ano.

A variação anual da produção física da indústria de transformação registrou alta de 0,8 por cento para o Brasil e de 1,4 por cento para o Ceará no acumulado janeiro a agosto de 2017. Para o mesmo período dos anos de 2014 a 2016 foram observadas quedas, revelando que, em 2017, ocorreu uma nítida recuperação da produção física industrial nacional e local. Neste ano, a produção física da indústria apresenta nítida recuperação, quando onze estados e a região Nordeste passaram a registrar variações positivas O Ceará registrou o sexto maior crescimento no acumulado do ano de 2017, superior ao registrado pelo Nordeste que apresentou queda no acumulado até agosto de 0,7 por cento.

Acesse o Enfoque Econômico 161.