Ceará gera 2.161 vagas com carteira assinada em setembro

19 de outubro de 2017 # # # # #

Ana Clara Braga - Assessoria de Comunicação do IDT
anaclara@idt.org.br
3101.5500 / 98899.8315

Este é o quarto mês consecutivo de saldo positivo no Estado

Este é o quarto mês consecutivo de saldo positivo no Estado

O emprego formal do Ceará registrou uma ampliação de 2.161 postos de trabalho, em setembro, o equivalente à variação positiva de 0,19% em relação ao estoque do mês anterior. O aumento deve-se à diferença entre 30.744 admissões e 28.613 desligamentos registrados no período. Com o resultado, o Ceará ficou na sétima posição no ranking nacional.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (19/10), pelo Ministério do Trabalho. Ainda segundo os números apresentados, houve geração de empregos em quase todos os setores da economia cearense, com destaque para agropecuária (767 empregos), indústria de transformação (636 empregos), comércio (523 empregos) e construção civil (205 empregos). Na contramão estão os setores de serviços (-179 empregos) e extrativa mineral (-9 empregos).

No setor da indústria, o maior incremento foi nos subsetores da indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (328 empregos) e indústria de produtos alimentícios e bebidas (141 empregos). Em relação ao comércio, o destaque ficou por conta da geração de vagas no comércio varejista (546 empregos).

“O comportamento sazonal do mercado dos últimos meses vem favorecendo a retomada da geração de postos de trabalho, reduzindo as perdas ocorridas no primeiro semestre de 2017, ao mesmo tempo que traz uma perspectiva mais favorável para o trabalhador, do que o ocorrido nos últimos dois anos, em que houve forte retração do emprego no país e, consequentemente, no Ceará”, conclui o analista do mercado de trabalho do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Erle Mesquita.​