Associação de Jovens Empresários passa a integrar o Pacto pelo Cocó

25 de outubro de 2017 # # # # #

Demétrio Andrade - Assessoria de Comunicação da Sema
(085) 98814.8286

A Associação de Jovens Empresários do Ceará (AJE) passou a integrar o rol de entidades que formam o Pacto pelo Cocó, uma articulação da sociedade civil destinada a recuperar o rio, um dos principais mananciais do Estado.

A Associação de Jovens Empresários do Ceará (AJE) passou a integrar o rol de entidades que formam o Pacto pelo Cocó, uma articulação da sociedade civil destinada a recuperar o rio, um dos principais mananciais do Estado. O ato ocorreu nesta quarta (25), quando o secretário do Meio Ambiente, Artur Bruno, participou de mais uma edição do Café em Debate, evento promovido pela AJE. O evento favorece o diálogo político entre os jovens empresários e representantes de entidades, no sentido de promover a cultura empreendedora e apresentar demandas e expectativas relacionadas.

Bruno iniciou o encontro falando das políticas ambientais do Estado e os quatro eixos que Secretaria do Meio Ambiente (Sema) atua: Resíduos Sólidos, Ceará no Clima, Ceará Consciente por Natureza e Ceará Mais Verde. “Foi uma excelente oportunidade para expor aos jovens empresários os projetos desenvolvidos pela Secretaria para o Estado, além de conclamar a participação da iniciativa privada, com suas ideias, espírito empreendedor e iniciativas”, ressaltou o secretário.

O debate girou em torno de questões com foco na sustentabilidade do contexto empreendedor, entre elas: energias renováveis, resíduos sólidos e o Pacto pelo Cocó. Os membros da AJE entendem que a participação privada pelo Pacto pelo Cocó é de fundamental importância para o sucesso do Projeto, além de ser instrumento para a valorização do espaço público, atraindo o turismo.

Sobre

O Café com Debate consiste em encontros mensais nos quais os associados da AJE Fortaleza e convidados da entidade têm a oportunidade de se encontrar com líderes políticos relacionados ao Ceará. O intuito é o de expor ações do poder público, realizar reivindicações e cobranças em prol do empreendedorismo e desenvolvimento socioecônomico do Estado, promover a aproximação junto aos entes políticos, permitindo a participação no desenvolvimento de políticas públicas para jovens empreendedores, discutindo assuntos de interesse do setor produtivo e criando um ambiente favorável à cultura empreendedora no Brasil e à livre iniciativa, permitindo o desenvolvimento sustentável e inclusivo da sociedade.