Hospital Geral Dr. César Cals completa 89 anos

31 de outubro de 2017 # #

Wescley Jorge -Assessoria de Comunicação do HGCC
ascom@hgcc.ce.gov.br - 85 3101.5323

1.869 profissionais em diversas áreas da saúde, administrativas, técnicas e de apoio trabalham constantemente para fazer do Hospital Geral Dr. César Cals, da rede pública do Governo do Estado do Ceará, uma referência em atendimento de alta complexidade para a população do Ceará e também de outros estados do país. São estes profissionais que continuam diariamente a contar a história desta unidade que, há 89 anos, existe para cuidar, salvar vidas, ajudar as mães a dar à luz, melhorar qualidade de vida e garantir atendimento especializado em mais de 59 mil consultas por ano, em quase 3.500 partos anualmente, mais de 15 mil atendimentos na emergência obstétrica e em mais de 400 mil exames a cada ano.

Tudo isso só é possível por conta da modernização de serviços, equipamentos, reformas estruturais, profissionais especializados, atendimento humanizado e investimentos feitos para proporcionar qualidade, presteza, atenção e excelência. Pensando nisso, em 2017, quando comemora 89 anos, foi inaugurada no dia 24 de maio de 2017, a nova ala da Maternidade e Neonatologia do Hospital Geral César Cals. Todo o Bloco 700 passou por uma reforma total em sua estrutura e modernização das instalações e equipamentos, tudo realizado para promover uma ambientação humanizada, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde (MS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além da emergência, foram reformados também o Centro de Neonatologia II, que comporta a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), com 10 leitos, e a Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo), com 20 leitos; ainda foram reformadas as seis enfermarias, com 26 leitos de alojamento conjunto, para mães e bebês, que fazem parte do Bloco 700 do hospital, totalmente voltado para serviços de obstetrícia e neonatologia. Além da reforma, novos equipamentos e mobiliários foram adquiridos, como incubadoras, berços, incubadoras de transporte e camas. Ao todo, o investimento foi de R$ 5 milhões, em recursos do Tesouro Estadual e do Ministério da Saúde.

“Fazemos um trabalho voltado para o paciente, que é a nossa maior prioridade”, é o que diz o médico diretor geral do HGCC, Antonio Eliezer Arrais Mota Filho. Segundo ele, o hospital reúne equipes multidisciplinares, equipamentos modernos que garantem a realização de procedimentos especializados, e constante atualização dos conhecimentos profissionais para favorecer o atendimento dos pacientes. “Trabalhamos constantemente para proporcionar o melhor para o paciente e garantir o aperfeiçoamento profissional e técnico”, destaca.

Foi também em 2017 que o HGCC passou a emitir os registros de nascimentos juntamente com o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF). Desde o mês de junho, todo bebê que nascer na maternidade do hospital, já pode sair com dois documentos. Esse ano, até o momento, já foram 750 recém-nascidos registrados antes da alta hospitalar. Por dia, são realizados de 8 a 10 registros. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, no horário de 13 às 15 horas e atende aos bebês nascidos na maternidade do HGCC.

E mais uma conquista passou a fazer parte do HGCC. O Método canguru, que completou 20 anos, foi certificado, pelo Ministério da Saúde, como referência estadual. São duas décadas dedicadas ao cuidado dos prematuros de baixo peso. A certificação foi um reconhecimento pelo trabalho, pela dedicação e o compromisso em promover a saúde de mães e recém-nascidos, por meio de uma assistência multiprofissional. São técnicas de enfermagem, médicos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos, entre outros, envolvidos no cuidado direto com a mãe e o filho.

As melhorias no atendimento e o investimento em profissionais especializados não param. O Hospital César Cals também atua como formador e atualiza sempre aqueles que tatuam em seus serviços. Foi o que aconteceu com a Endometriose Profunda. Em 2017, para permitir um tratamento cada vez mais adequado e ofertar um serviço especializado, foi realizado o I Mutirão de Endometriose, com treinamento em serviço. Foram 40 profissionais das mais diversas áreas da saúde.

No HGCC, as pacientes são acompanhadas no ambulatório de ginecologia e, após consultas e exames, são classificadas conforme as características clínicas da doença e indicação cirúrgica. O procedimento é indicado quando a paciente apresenta sintomas, como dores, e não melhora com o tratamento clínico, como medicação, acupuntura, fisioterapia etc. E ainda quando os exames de imagens detectam nódulos e lesões que atingem outros órgãos pélvicos, além do útero. São realizadas, mensalmente, 15 cirurgias de endometriose profunda.

E como as melhorias não param e procurando estar sempre mais próximo do paciente e do familiar, garantindo a segurança e o cuidado intensivo e humanizado, o atendimento do Serviço Social do HGCC foi ampliado no mês de outubro desse ano, permitindo acolher pacientes e acompanhantes 24 horas pelas assistentes sociais do hospital. Agora, com o atendimento ampliado, o usuário tem mais um suporte, além do plantão administrativo do Núcleo de Atendimento ao Cliente do HGCC para resolver várias questões, referentes a internamentos, acompanhantes, altas, atendimentos e plantão social.

O Hospital César Cals, cujo nascimento se deu ainda numa enfermaria da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, em 1861, deu origem ao seu primeiro prédio, no endereço atual, na Avenida Imperador, no Centro de Fortaleza, em 31 de outubro de 1928, como Maternidade Dr. João Moreira, com 30 leitos, no andar térreo e, no andar superior, a Casa de Saúde César Cals, com 16 leitos, estrutura que ainda hoje é seguida. Atualmente, quando completa 89 anos, o Hospital Geral Dr. César Cals tem sua estrutura dividia no prédio principal, com 296 leitos, e no prédio anexo, onde funcionam o setor ambulatorial e o Centro de Estudos do hospital. Uma evolução que se tornou referência em todo estado do Ceará.